Paulo do Nascimento Cabral defende crescimento e sustentabilidade da Agricultura Biológica nos Açores

O candidato da AD-Aliança Democrática às eleições ao Parlamento Europeu do próximo dia 9 de junho, Paulo do Nascimento Cabral, defendeu o crescimento e a sustentabilidade da Agricultura Biológica na Região, “uma prática que alia a produção de alimentos a práticas sustentáveis e de impacto positivo no ecossistema agrícola”.

Para o social-democrata, “importa continuar a aumentar este tipo de produção nos Açores, com o aumento da diversificação dos produtos agrícolas e com uma justa remuneração dos agricultores”, disse, à margem de uma visita à Biofontinhas, na Praia da Vitória.

“É bom reconhecer que nos Açores, a Agricultura Biológica, é apoiada por ambos os pilares da Política Agrícola Comum, sendo necessário continuar a incentivar este modo de produção, que como vimos cria valor, e neste caso, mais ainda pois dispensa quaisquer apoios ou subsídios, o que mostra bem que é este tipo de produtos que o mercado quer e mais valoriza”,

Na Biofontinhas o candidato constatou uma produção “que considero excepcional, pela forma como se encontra aqui um verdadeiro sistema circular, sem desperdícios, com grande produtividade e uma justa remuneração para o produtor”.

Paulo do Nascimento Cabral deslocou-se à Terceira para desenvolver algumas iniciativas de sensibilização para as próximas eleições europeias, mas pretendeu sinalizar e enaltecer a Agricultura Biológica, o modo de produção daquela exploração agrícola, “que é o método produtivo que melhor respeita o Ambiente”.

“Na Biofontinhas, Avelino Ormonde caracteriza-se como autodidata, mas apresenta um conhecimento profundo dos solos, das plantações e respetivas sinergias, e um total respeito pelo ambiente e pela natureza, com soluções inovadoras e criativas, o que é fantástico”, enalteceu.

O candidato da AD-Aliança Democrática diz mesmo que “Avelino Ormonde simboliza a generalidade dos agricultores dos Açores pelo enorme respeito pelo ambiente, produções e exploração. São verdadeiros cuidadores do nosso jardim, que são os Açores. Está de parabéns por isso e agradeço muito a oportunidade de perceber como as coisas estão a ser feitas”.

Paulo do Nascimento Cabral entende que, “numa lógica redução da pegada ambiental, se devem valorizar as cadeias curtas de abastecimento, que se podem consubstanciar numa justificada contratação pública de produtos agrícolas dos Açores, preferencialmente provenientes da Agricultura Biológica, especialmente para as escolas, cantinas e outras entidades que tenham os jovens como público-alvo. Deixo mesmo o repto a todos os Açorianos: consumam mais produtos dos Açores”, concluiu.