Bruto da Costa destaca “postura de diálogo e de compromisso” do Governo

O presidente da bancada parlamentar do PSD/Açores João Bruto da Costa destacou esta manhã a “postura de diálogo e de compromisso” por que tem pautado a atuação do Governo Regional.

O deputado social-democrata falava durante a sessão do plenário que está a decorrer na Assembleia Legislativa dos Açores, na Horta.

João Bruto da Costa realçou “o trabalho desenvolvido, nesta legislatura, em termos parlamentares, a divergência, o dissenso, a discussão, a falta de entendimento em algumas matérias que discutimos mensalmente neste plenário e semanalmente, diariamente, nas comissões”.

Tudo ações que “fazem parte do trabalho democrático e daquele que sido o tempero desta legislatura”, reiterou, salientado o empenho do Governo Regional transversal às diversas áreas do Executivo.

Desde a agricultura, apontou o líder da bancada parlamentar social-democrata, “cujo trabalho está a ser notável, sobretudo na mudança de paradigma”, reconhecido “pelos agricultores e pela sociedade açoriana”.

João Bruto da Costa salientou igualmente outro exemplo como a regularização das carreiras da classe docente, por via da abertura de mais de mil vagas nos quadros das escolas da Região nos últimos três anos: “Estamos a estabilizar, a mudar o paradigma, a deixar as pessoas sem terem necessidade de estender a mão a pedir o que é por direito delas”.

O dirigente do grupo parlamentar disse ser “uma testemunha privilegiada do permanente diálogo, da permanente concertação. Cedemos quando devemos ceder e onde podemos ceder. Afirmamos os nossos princípios e não abdicaremos deles”, salvaguardou.

O parlamentar social-democrata afirmou ainda que “o Partido Social Democrata nunca abdicou nesta casa dos seus princípios fundamentais para prosseguir a governação desta legislatura”, acrescentando que “há princípios que vão para além da discussão política. E desses não abdicamos”.

Para João Bruto da Costa, impõe-se “pesar cada uma das opiniões que aqui são vertidas, para equilibrar o sentido democrático, do diálogo e da concertação”, concluiu.