PS “despreza trabalhadores” ao criticar apoio do Governo dos Açores ao aumento de salários

O vice-presidente do PSD/Açores Luís Maurício afirmou que as críticas do PS à iniciativa do Governo Regional de apoiar o aumento dos salários nas empresas do setor privado revelam “profundo desprezo pelos trabalhadores” por parte dos socialistas.

“Dizer que apoiar o aumento dos salários é uma ‘mão cheia de nada’, como disse o PS, é revelador de um profundo desprezo pelos trabalhadores açorianos. A ânsia de atacar o Governo dos Açores é tal que o Partido Socialista agora até critica a iniciativa do Executivo de apoiar o aumento dos salários no setor privado. Trata-se de uma boa medida do Governo Regional para mitigar os efeitos da crise inflacionista”, afirmou.

Segundo o dirigente social-democrata, o ‘Programa MAIS’, anunciado pelo Presidente do Governo dos Açores e com uma dotação de 10 milhões de euros para os trabalhadores, constitui “mais uma importante medida de apoio às famílias e empresas”.

“Desde o dia 1 de janeiro de 2023 que estão em vigor, nos Açores, os maiores apoios sociais da história da Autonomia, bem como os impostos mais baixos de todo o país. O ‘Programa MAIS’ é mais uma das muitas iniciativas que o Governo liderado por José Manuel Bolieiro tem tomado para proteger os açorianos num período de incerteza”, disse.

Para Luís Maurício, o apoio do Governo Regional ao incremento salarial, que deverá abranger até 55 mil trabalhadores por conta de outrem, “é mais uma medida de grande alcance, pois irá aumentar a liquidez das famílias”.

O vice-presidente do PSD/Açores lembrou que o ‘Programa MAIS’, a aplicar até ao final do primeiro trimestre de 2023, “vem corrigir uma injustiça praticada pelo Governo da República, que excluiu as empresas açorianas nas medidas de compensação inseridas nos acordos de aumentos salariais”.

“O PS, que nada disse sobre a exclusão das empresas açorianas de medidas nacionais, tem agora o desplante de criticar o Governo dos Açores por se substituir ao Governo da República. O PS limita-se a fazer uma oposição de terra queimada, criticando tudo o que o Governo faz e nunca apresentando alternativas”, sublinhou.

De acordo com o dirigente social-democrata, “os açorianos já perceberam que não podem contar com o PS neste momento de incerteza a nível internacional”.