Ensino Superior. PSD faz agendamento potestativo para ouvir Ministra sobre o contingente Açores

O grupo parlamentar do PSD na Assembleia da República formalizou hoje o agendamento potestativo da audição à Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, “face ao chumbo pelo PS, impedindo que a governante preste esclarecimentos sobre a redução do contingente de acesso ao Ensino Superior para os Açores e Madeira, no local próprio, que é a Assembleia da República”.

Segundo o deputado Paulo Moniz, “é preocupante que o PS tente impedir que esta audição aconteça, ainda mais quando todo o assunto continua numa espécie de nebulosa, afinal a Senhora Ministra num dia diz que vai ser o acesso reduzido e agora diz que, neste momento, não”, adianta.

“Ou seja, contrapôs-se com as suas declarações iniciais, significando isso que a ideia ainda se mantém, e que o assunto tem de ser esclarecido de forma definitiva e onde deve, ou seja, na Assembleia da República”, refere o social-democrata.

“É evidente que esteve e pelos vistos continua a estar em cima da mesa uma redução da quota atribuída aos Açores e à Madeira para o acesso ao Ensino Superior. Isso foi proposto e discutido, chegando-se porventura à conclusão que não seria a melhor solução, por agora”, reforça Paulo Moniz.

“Mas foi a Senhora Ministra a lembrar que o processo de acesso ao ensino superior está a ser revisto, realçando que os contingentes destinados aos alunos dos arquipélagos têm cerca de 40 anos”, lembrou.

Elvira Fortunato anunciou na comunicação social que as vagas do contingente de acesso ao Ensino Superior dos Açores e da Madeira serão reduzidas dos atuais 3,5% para 2%.

“Voltamos a frisar que não foram ouvidos os governos próprios, nem foi ouvida a Assembleia da República, pelo que continuamos a ter razões para ouvir a Senhora Ministra sobre este assunto, já que o contingente dos estudantes açorianos e madeirenses é uma conquista das Autonomias, que não devemos deixar cair”, concluiu Paulo Moniz.