Pescas. Jaime Vieira diz que a Coligação “virou uma nova página” do setor na Região

O vice-presidente da bancada parlamentar do PSD/Açores, Jaime Vieira, considerou ontem que o atual Executivo açoriano conseguiu “virar uma nova página” nas pescas do arquipélago, o que se comprova “com a visão responsável que o Plano e Orçamento para 2023 dedica ao setor”.

“Estamos a virar uma página face ao que acontecia no passado, e este orçamento vai dar resposta ao presente, já a pensar no futuro”, apontou, frisando que “vamos melhorar a vida de quem trabalha nas pescas, sem nos endividarmos. E é essa a diferença deste para o anterior governo”.

Numa intervenção em que se dirigiu diretamente aos pescadores açorianos, Jaime Vieira disse que “estamos perante um Plano e um Orçamento realistas, que vão permitir criar uma linha de crédito de apoio à pesca, visando a reparações de embarcações, e evitando que muitas fiquem varadas, como aconteceu no passado. É preciso não esquecer que foi um governo PS, em 2017, a acabar com a portaria que permitia o financiamento dessas reparações”.

“Enquanto uns deixaram os armadores à deriva, há outros que os auxiliam”, sendo que “hoje os pescadores têm mais rendimentos, pesca-se menos e ganha-se mais” assegurou.

“Este Orçamento vai dotar os diversos portos da Região de melhores condições de trabalho, depois de terem sido simplesmente abandonados no passado”, adiantou, referindo que se trata “de um orçamento que dedica 40% do seu total à investigação, a maior verba de sempre naquela área, num sinal claro de que para se resolver qualquer problema, primeiro é preciso conhecer”.

Jaime Vieira recordou igualmente a questão dos chicharreiros, “que não foi esquecida, e é este Governo que vai evitar os baixos rendimentos daqueles pescadores, graças ao acordo assinado com a Federação das Pescas e os armadores”.

“Da mesma forma, há um acompanhamento aos luleiros, de modo a potenciar-lhes bons rendimentos”, garantiu o deputado.

E lembrou que “temos hoje uma Escola do Mar, com vários cursos, e a garantir preparação para termos pescadores com mais e melhor formação. E que já está certificada e a ampliar as horas de formação, os conteúdos e o número de alunos, em todas as ilhas”, disse.

“Mas o PS de hoje parece que esqueceu ter governado a região até 2020 com maiorias absolutas, pois fala como se não tivesse nenhuma responsabilidade no estado em que este Executivo encontrou o setor das pescas”, acusou Jaime Vieira.

E deu como exemplos “o Entreposto da Horta, onde reduziram para metade a capacidade de congelação; a obra no núcleo de pescas da Madalena, onde foram gastos dois milhões, mas que está inoperacional e nunca foi inaugurada; ou ainda o porto do Topo, com um projeto que nem luz nem água tinha”.

“Felizmente, este é um Governo que investe o que tem, e não promete o que não tem. A Coligação não governa para ficar bem, mas para efetivamente ajudar a vida dos açorianos, já que antes criavam-se planos e faziam-se promessas, mas os governos pouco faziam”, concluiu Jaime Vieira.