Saúde. Partido Socialista “finge preocupação” por entidade que “desprezou durante anos”

O secretário-geral do PSD/Açores, Luís Pereira, condenou o Partido Socialista por “fingir preocupação” com a extinção do cargo de Provedor do Utente da Saúde, lembrando que o PS “desprezou durante anos” aquela figura.

“O anterior governo socialista desprezou durante anos a figura de Provedor do Utente da Saúde. Entre 2016 e 2019, o cargo esteve vago, o que demonstra que o PS apenas está a fingir preocupação nesta matéria. Só quando faltavam 11 meses para as eleições regionais de 2020 é que um novo titular foi nomeado. Em suma, o Partido Socialista chora lágrimas de crocodilo por uma entidade que desprezou quando era governo”, afirmou o dirigente social-democrata.

Luís Pereira salientou que a Entidade Gestora do Doente em Espera, recentemente anunciada pelo atual Governo dos Açores, “irá resolver problemas concretos dos utentes do Serviço Regional de Saúde, não se limitando a fazer partilhas de notícias nas redes sociais, como acontecia com o Provedor do Utente da Saúde”.

“A Entidade Gestora do Doente em Espera não só analisará as queixas dos cidadãos pelo incumprimento dos Tempos Máximos de Resposta Garantidos para consultas, cirurgias e exames, como também cuidará da transferência dos processos dos utentes para as entidades convencionadas com a Região, a fim de garantir a efetiva prestação do serviço”, sublinhou.

Em resposta às acusações da Comissão Permanente do PS, o secretário-geral do PSD/Açores denunciou o “típico despesismo do Partido Socialista, que inventava cargos públicos que só serviam para gerar despesa”.

“O Provedor do Utente da Saúde, que apenas recebia as queixas dos utentes e partilhava notícias de terceiros nas redes sociais, auferia uma remuneração bruta anual superior a 62.000 euros. A Entidade Gestora do Doente em Espera fará muito mais e por menos dinheiro”, frisou.

Luís Pereira lembrou ainda que, de acordo com informação tornada pública no início de 2022, a atividade do Provedor do Utente da Saúde “limitava-se a publicações na rede social Facebook de notícias da imprensa nacional e regional, que se traduziram em 21 no ano passado, desconhecendo-se outras ações de divulgação junto do público em matéria de Saúde”.

O dirigente social-democrata acrescentou que a criação da Entidade Gestora do Doente em Espera “foi um compromisso político do Presidente do Governo dos Açores na campanha para as eleições regionais de 2020”.

“Trata-se de mais um compromisso cumprido por este Governo na melhoria dos cuidados de saúde prestados aos açorianos. Com o Executivo liderado por José Manuel Bolieiro, o Serviço Regional de Saúde faz agora mais consultas, mais cirurgias e mais exames do que acontecia na governação socialista. Este é um caminho de que não nos desviaremos um milímetro, por mais que isso incomode o Partido Socialista”, concluiu.