Praia da Vitória. Câmara trabalha com seriedade face à pesada herança socialista

O Grupo Municipal do PSD/Açores na Praia da Vitória sublinhou na segunda-feira “a seriedade e a transparência com que o atual executivo camarário está a trabalhar” face “à grave situação de endividamento herdada da gestão socialista”.

Em reunião da Assembleia Municipal, os social-democratas adiantaram que “para além do passivo do município, a Câmara tem cerca de 4 milhões de euros de dívidas a fornecedores, obras em curso e compromissos do anterior executivo, entre eles apoios dos programas ‘Cooperar e Desenvolver’ e ‘Viver e investir’, alguns para pagar desde 2020”, disse a líder da bancada, Judite Parreira.

“A gestão camarária do PS não cumpriu com o pagamento a instituições e empresas, nem aprovisionou o orçamento”, afirmaram os deputados municipais do PSD, explicando que, relativamente às instituições do concelho, “o PS deixou mais de 400 mil euros de compromissos, sabendo que não havia dinheiro para os pagar”, e até criou regulamentos “sem limites ao valor total de apoio, não se preocupando que os orçamentos municipais tivessem previsto esses valores”.

“É mentira que esta Câmara tenha deixado de apoiar as instituições do concelho, uma vez que continua a apoiar os pedidos até mil euros e de carácter urgente”, referem, lembrando que “se o PS não tivesse deixado uma autarquia totalmente endividada, sem capacidade de fazer face aos compromissos, todos os regulamentos teriam permanecido abertos”, lembrou Judite Parreira.

Para os social-democratas “este será um ano zero para parar, pagar a herança , refazer e voltar a apoiar. Os regulamentos foram suspensos e não extintos, e foi preciso parar para refazer, e no próximo ano lançar regulamentos ajustados à realidade do concelho e da Câmara”, defenderam os deputados municipais eleitos pelo PSD.