Praia da Vitória. AD exige plano concreto de descontaminação dos solos e aquíferos

O candidato da AD/Aliança Democrática (PSD/CDS-PP/PPM) à Assembleia da República Francisco Pimentel exigiu “a criação de um plano concreto para uma descontaminação responsável e abrangente dos solos e aquíferos da Praia da Vitória”, na Ilha Terceira.

Francisco Pimentel falava após uma reunião com a Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, onde esteve acompanhado pelos candidatos Paulo Moniz e Emanuel Sousa, tendo afirmado que a descontaminação ambiental na Terceira, decorrente da presença militar dos EUA na Base das Lajes, “tem sido uma preocupação prioritária dos deputados açorianos do PSD na Assembleia da República”.

“Temos vindo a alertar e a incitar o Governo da República na tomada de posições firmes quanto a esta matéria, no âmbito das negociações da Comissão Bilateral Permanente”, referiu o candidato da AD/Aliança Democrática, lembrando que o Estado Português “é o primeiro responsável pela aplicação e pelas consequências do Acordo da Base das Lajes”.

Francisco Pimentel recordou igualmente que o Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT) previa “uma verba de 100 milhões de euros por ano destinada, sobretudo, à descontaminação dos solos e aquíferos do concelho da Praia da Vitória”.

E salientou que o Governo da República do Partido Socialista “disse que essas verbas valiam zero, não exigiu verbas dos EUA, nem conseguiu apresentar um plano para a descontaminação dos solos e aquíferos da Praia da Vitória”.

Segundo o candidato, “é urgente uma atuação eficaz e urgente do Estado no âmbito da descontaminação”, pelo que “defendemos a criação de um plano concreto para uma descontaminação responsável e abrangente, que inclua medidas específicas, calendarização, financiamento e transparência”.

Francisco Pimentel defendeu que as negociações diplomáticas entre Portugal e os EUA “devem continuar a acontecer, sem hesitações ou recuos, no estreito cumprimento do princípio do “poluidor pagador”, garantindo que, “enquanto deputados à Assembleia da República, assumimos perante os terceirenses o compromisso de tudo fazer para que se encontre uma solução definitiva para esta matéria”, concluiu.