Ribeira Grande. Orçamento do Município para 2022 acompanha grandes desafios do concelho

A Comissão Política Concelhia do PSD/Ribeira Grande congratulou-se pela aprovação, em reunião de Câmara, do Orçamento e Grandes Opções do Plano do Município da Ribeira Grande, para 2022, no valor de 23,17 milhões de euros.

“Dos documentos previsionais aprovados é possível concluir que a Câmara Municipal da Ribeira Grande estará preparada para, em 2022, corresponder a um período desafiante, marcado pela saída da pandemia, atuando em três domínios fundamentais: recuperação da economia local, apoio social e reforço financeiro às juntas de freguesia”, referem os social democratas.

A concelhia do PSD sublinha igualmente a retoma dos grandes eventos de promoção turística assim como a continuação das obras na frente mar, o lançamento da segunda fase das obras no novo campo de jogos de Rabo de Peixe e o alargamento da via no troço entre a Maia e Lombinha da Maia, “que demonstram bem a visão dinâmica que a autarquia tem para o futuro do Concelho e para a sua economia”.

Por outro lado, realçam a aposta nas Funções Sociais, “com investimentos significativos na Rede de ATL, em parceria com a Cooperativa “A Ponte Norte”, o reforço da verba para Bolsas de Estudo ou o apoio às Instituições e Habitação”.

Outra grande marca deste Orçamento “passa pelo reforço de competências das Juntas de Freguesia, acompanhado pelo correspondente aumento do envelope financeiro. Na realidade, trata-se de um incremento de 50% face aos valores transferidos no ano de 2021”, destacam o PSD local.

Os social democratas reafirmam-se “como um verdadeiro partido do Poder Local, próximo dos nossos autarcas, permitindo-lhes dispor de meios para uma resposta mais imediata aos problemas dos munícipes, e apoiando as Juntas de Freguesia, independentemente de cores partidárias”, reforçam.

O PSD da Ribeira Grande lamenta ainda que os vereadores do Partido Socialista não se tenham associado a essa descentralização e reforço das competências e recursos financeiros nas Juntas de Freguesia, “optando por votar contra o Orçamento e as Grandes Opções do Plano e sobrepondo interesses partidários aos verdadeiros interesses da nossa terra”, concluem.