Obras Públicas. Plano para 2022 avança com ações importantes para todas as ilhas

O deputado do PSD/Açores Paulo Silveira considerou esta quarta feira que o Plano e Orçamento apresentado pelo governo da coligação prevê, nas rubricas referentes às Obras Públicas, “um conjunto de ações importantes e estruturantes para todas as ilhas”.

O social democrata realçou que o governo regional “elegeu as pessoas como prioridade fundamental da sua ação”, não deixando por isso, “de dotar a Secretaria Regional das Obras Públicas, Transportes Terrestres e Comunicações com 126 milhões de euros para 2022”.

“Esse valor está distribuído por diversas áreas de investimento, bem como para o pagamento de compromissos anteriores, como as SCUT, no valor de 30 milhões de Euros”, lembrou o deputado.

Paulo Silveira, eleito por São Jorge, sublinhou que vai finalmente avançar o Projeto da Estrada da Transversal Santo António/Urzelina, que faz a ligação norte/sul da ilha, “e que era reclamada há muito pela população, o que o Partido Socialista ignorou, quando no governo”.

O social democrata acrescentou que, “para lá dos mais de 10 milhões de euros de investimento previstos através do Plano de Recuperação e Resiliência nas diversas Ilhas, serão ainda executadas empreitadas de outras Secretarias num valor de 60 milhões de euros”.

“Dessas, e em São Jorge, destacam-se a beneficiação do Centro de Saúde de Velas, a proteção da orla costeira junto ao Caminho Municipal adjacente ao Campo de Jogos e Santa Catarina na Vila da Calheta, assim como na Fajã de João Dias e na Fajã das Pontas, e ainda a estabilização da zona adjacente ao quartel dos Bombeiros da Calheta e a reorganização do espaço envolvente ao porto do Topo”, disse.

“Todos estes exemplos, enumerados em relação a São Jorge, poderiam ser apontados para qualquer outra ilha, uma vez que este plano prevê ações concretas em todas elas, mostrando a diferença deste governo”.

“A aprovação do Orçamento para 2022, com o voto contra do Partido Socialista, é fundamental para assegurar o trabalho de continuidade, iniciado por este executivo, que visa a coesão das ilhas açorianas. Mantém-se assim, sem surpresa, o PS de costas voltadas para os açorianos”, concluiu.