Bolieiro destaca Governo que “cumpre a palavra dada, mas que incomoda” quem foi incapaz de fazer

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, afirmou que a Região tem hoje um Governo que “cumpre a palavra dada” e cujo trabalho “incomoda quem não foi capaz de fazer”.

“Este é um Governo que cumpre a palavra dada, mas que incomoda quem não foi capaz de fazer o que estamos a fazer. Que moral, política e cívica, tem quem não foi capaz de fazer vir agora dizer mal de quem já fez em tão pouco tempo melhor do que outros fizeram”, afirmou.

O líder social-democrata falava na sessão de encerramento das jornadas parlamentares de preparação do debate das propostas de Plano e Orçamento, que contou também com a presença dos líderes do CDS-PP/Açores, Artur Lima, e do PPM/Açores, Paulo Estevão.

José Manuel Bolieiro salientou a “coesão” do Executivo Regional da coligação PSD/CDS-PP/PPM e as medidas já implementadas em menos de um ano de governação orientada por um “espírito de missão”.

“Quem participou na afirmação desta alternativa tem de se rever e confirmar solidamente este rumo de alternativa. A coesão deste governo é inequívoca. Nós não discutimos protagonismos. Nós discutimos ações”, sublinhou.

O presidente do PSD/Açores referiu que o atual Executivo está a “mudar o perfil” deixado pela governação socialista, que era de “pôr os açorianos de mão estendida”, acrescentando que é um rumo de que a coligação não abdica.

“Este é o rumo da democracia que se apresenta plural, mas coesa na solução deste governo e de estabilidade com as soluções dos acordos de incidência parlamentar. A alternativa a este rumo é daqueles que fariam o contrário, não baixando os impostos e os preços das passagens aéreas”, frisou.

José Manuel Bolieiro classificou como “inovadora” a atuação do Governo Regional da coligação, que, com “humildade democrática”, fez das antepropostas de Plano e Orçamento para 2022 um “rascunho para a auscultação” dos partidos com acordos de incidência parlamentar, dos parceiros sociais e de toda a sociedade açoriana.

“Estas forças políticas – e este Governo em particular – estão ao serviço dos Açores e dos açorianos e não ao ziguezague do protesto de circunstância ou da ameaça de instabilidade. Procuramos assegurar com responsabilidade democrática a estabilidade e um rumo”, disse.

O líder social-democrata e Presidente do Governo dos Açores referiu que a oposição está “inquieta com o sucesso” do Executivo, salientando que a atual governação “parece incomodar alguns”.

“Ao contrário de a anterior opção governativa, que queria fazer da atividade pública o domínio e o dominante das pessoas, das instituições e das empresas, nós revertemos esse modelo de governação”, afirmou.

José Manuel Bolieiro destacou ainda a redução dos impostos (IVA, IRS e IRC) implementada pelo atual Governo Regional, lembrando que “a oposição de esquerda não concorda, porque prefere no bolso do gestor público o dinheiro que é da economia e das famílias”.

“É preciso que as pessoas decidam se querem esse rumo ou outro porque nós, deste lado, sabemos o que queremos. Já fizemos parte do que queríamos e não nos vamos desviar desse rumo”.