Lagoa. Partido Socialista aumenta custos da vereação para 275 mil euros

A Comissão Política Concelhia do PSD/Lagoa considerou hoje que o novo mandato socialista na autarquia “começou da pior maneira”, face “ao acréscimo de custos de 50 mil euros, relativamente ao mandato anterior, passando para 275 mil euros o encargo anual da vereação socialista”.

“Isto porque o PS apresentou e fez aprovar uma proposta relativa ao número de vereadores que exercerão as funções a tempo inteiro, defendendo que todos os seus quatro vereadores ficarão naquele regime”, explica a estrutura presidida por António Vasco Viveiros.

Os vereadores do PSD, eleitos pela coligação “Lagoa Unida”, votaram vencidos contra aquela proposta, e dizem que “o mandato começa assim da pior maneira, no que respeita à utilização dos recursos financeiros de todos os lagoenses”, já que o custo com remunerações da presidência e dos quatro elementos da vereação socialista “passa a representar quase 10% dos custos totais com todos os restantes 150 trabalhadores da autarquia”.

Para o PSD local, “primeiro devem estar os interesses dos lagoenses e não os interesses partidários e dos eleitos do Partido Socialista”, sendo que “a situação é ainda mais grave se a compararmos com o número de vereadores a tempo inteiro de outras autarquias, pois a Lagoa passa a ter maior número de vereadores a tempo inteiro do que concelhos de maior dimensão, como Angra do Heroísmo, Horta, Praia da Vitória e Ribeira Grande, ficando com o mesmo número de Ponta Delgada, mas que serve uma população 4 vezes superior à da Lagoa”, referem.

Na referida reunião, os representantes do PSD apresentaram uma proposta de “suspensão imediata das obras em curso do novo arruamento a nascente do Convento de Santo António”, a qual será votada na próxima reunião de Câmara, “permitindo uma reavaliação do projeto, com alternativa ao traçado previsto e com maior afastamento do edifício, evitando, enquanto é tempo, o atentado ao património que resultará da sua execução”, alertam os vereadores social democratas.

A concelhia lagoense do PSD conclui, referindo que “os nossos vereadores exercerão as suas funções com responsabilidade, apresentando propostas no interesse dos cidadãos do concelho, mas exercendo uma fiscalização muito ativa do poder maioritário socialista”.