Paulo Moniz preocupado com aumento recorde da criminalidade violenta nos Açores

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, Paulo Moniz, questionou hoje o Governo sobre o aumento da criminalidade geral na Região, querendo saber “se há, efetivamente, medidas em curso, para combater uma realidade que, em 2020, foi única no país”, avançou.

O social democrata cita o relatório anual, numa pergunta enviada ao Ministro da Administração Interna, de segurança interna referente ao ano passado, “em que os Açores foram a única região de Portugal onde a criminalidade geral aumentou. Foram registados 9263 crimes nos Açores em 2020, enquanto no ano anterior haviam sido registados 9125 crimes”, referiu.

“Trata-se de uma variação da criminalidade geral que representa uma subida de 1,5%, enquanto a nível nacional a criminalidade geral desceu 11%, em 2020”, reforça Paulo Moniz.

“Mais grave é o facto de a criminalidade violenta e grave nos Açores ter aumentado de 144 para 192 crimes, quando a nível nacional, o mesmo tipo de crimes registou uma diminuição de 13,4%. Nesse quadro, os Açores lideram destacados a subida, com 33,3%”, disse ainda o parlamentar.

Assim, Paulo Moniz questionou diretamente o Ministro da Administração Interna, uma vez que “os dados evidenciam que a criminalidade geral subiu quatro vezes nos Açores, durante os últimos cinco anos, culminando em 2020 com o primeiro lugar destacado no pódio nacional do aumento da criminalidade grave e violenta, o que é deveras preocupante”, declarou.

O deputado açoriano lembra que, em julho de 2020, “o então comandante regional da PSP na Região anunciou um reforço de 40 agentes, que iriam substituir os efetivos que deixavam de estar ao serviço por várias razões. Quantos dos novos 40 agentes estão efetivamente em serviço nos Açores nesta data?”, questiona.

Da mesma forma, e após a colocação e distribuição desses 40 novos agentes, “se assim aconteceu, é preciso conhecer o diferencial do efetivo total em missões operacionais da PSP nos Açores, durante o último ano, para perceber a variável”, considerou Paulo Moniz.

“Igualmente em espera está a entrada em funcionamento do Laboratório de perícia científica no Comando Regional dos Açores da PSP”, assim como “se aguardam informações sobre o reforço de agentes e a conclusão das infraestruturas do novo comando de Ponta Delgada, da Esquadra da Ribeira Grande e nas equipas especializadas e focadas no combate ao crime grave e violento”, concluiu o deputado.