PSD propõe investimento no abastecimento de água à agropecuária na Lomba de São Pedro

(c) Hugo Moreira

O grupo parlamentar do PSD/Açores propôs hoje que o Governo Regional proceda a um investimento no abastecimento de água aos produtores agropecuários da freguesia da Lomba de São Pedro, no concelho da Ribeira Grande.

Nesse sentido, os social-democratas entregaram esta quarta-feira um projeto de resolução no parlamento, “visando que o Governo Regional promova os procedimentos necessários à captação de água de nascente no lugar da ‘Mata do Povo’, bem como à construção de um reservatório para o mesmo fim”, explica Ana Quental.

A deputada adianta que, devido à falta de investimento público no abastecimento de água à agricultura, nas legislaturas anteriores, “os produtores agropecuários da Lomba de São Pedro são obrigados a recorrer à mesma captação que abastece a população da freguesia”.

“Essa situação faz com que, em verões mais secos, os agricultores da Lomba de São Pedro sejam prejudicados, dado que na gestão da água da rede pública é dada prioridade ao abastecimento da população”, acrescenta Ana Quental.

A social-democrata lembra que isso foi o que sucedeu “no verão de 2019, em que a ilha de São Miguel foi marcada por uma seca que afetou gravemente as produções agropecuárias, devido a essa mesma falta de investimento público em reservas de água para o setor agrícola”, afirma.

A parlamentar sublinha que a agropecuária constitui o principal pilar da economia da Lomba de São Pedro, sendo que, no setor primário da freguesia se destaca a produção de batata, com uma área de cerca de 500 alqueires e uma produção anual que ronda 3 mil toneladas, uma das maiores da ilha de São Miguel.

O setor agropecuário assume-se como “a principal fonte de criação de postos de trabalho na Lomba de São Pedro, absorvendo cerca de 80 por cento do emprego na freguesia”, refere.

“É assim de vital importância investir na captação de água para a agropecuária, evitando constrangimentos no abastecimento à população e garantindo que as produções agrícolas da freguesia sejam competitivas”, reforça Ana Quental.