Ambulância. Angra do Heroísmo continua com apenas uma tripulação em período noturno

A deputada do PSD/Açores Mónica Seidi considerou hoje que a cobertura do concelho de Angra do Heroísmo por apenas uma tripulação de ambulância em período noturno é “insuficiente”, tratando-se “de mais uma promessa do governo que está por cumprir”, afirmou.

A social democrata refere que “a falta de mais uma tripulação confirma-se no novo Regulamento do Serviço de Transporte Terrestre de Doentes, publicado a 30 de junho, ficando assim sem atendimento o pedido feito pelo Presidente da Direção da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Angra do Heroísmo (AHBVAH)”, refere.

Mónica Seidi recorda que “a 8 de janeiro de 2018, a Comissão de Política Geral da ALRAA reuniu na Terceira, ouvindo o Governo, a Proteção Civil e os Bombeiros de Angra, que relataram essa necessidade, tendo ficado assente que a Secretaria Regional da Saúde (SRS) passaria a financiar a segunda tripulação para período noturno no concelho de Angra do Heroísmo, no caso a tripulação para a Secção Destacada dos Altares”, sublinha.

Segundo a deputada, “o próprio presidente da AHBVAH afirmou em Comissão que tinha recebido um ofício proveniente da SRS a informar que iriam receber um aumento de cerca de 12%, e que com essa verba já tinha financiamento para a ambulância da noite”, lembra.

“A verdade é que, apesar de compromissos prévios, a ABVAH não foi novamente contemplada com aquela segunda tripulação, pelo que pedimos explicações nesse sentido à tutela, uma vez que defendemos que o investimento em recursos humanos é essencial para que a prestação do socorro à população seja efetivamente melhorada e assegurada”.

Mónica Seidi diz mesmo que, “a Comissão visitou recentenmte às obras em curso na Secção Destacada dos Altares, onde a atual Secretária Regional da Saúde nada disse sobre o assunto, o que é inaceitável. O investimento em instalações é positivo, mas tem de ser acompanhado pelo investimento em recursos humanos”, reforçou.

Em requerimento enviado à Assembleia Legislativa, os social democratas dizem mesmo que a situação referida “é um obstáculo à melhoria do socorro às populações do lado oeste da Ilha Terceira, e o Governo tem de se explicar a esse respeito”, refere a parlamentar.

Mónica Seidi questiona igualmente o executivo sobre a disponibilidade “para atender às preocupações manifestadas e dotar a ABVAH dessa segunda tripulação, a funcionar na Secção Destacada dos Altares, conforme foi prometido e justificado há mais de dois anos e meio”, conclui.