Educação. O importante é que nenhum aluno fique para trás

A deputada do PSD/Açores Maria João Carreiro defendeu ontem que, face às atuais contingências que vive o setor da Educação, por via da pandemia da Covid-19, “o importante é que nenhum aluno fique para trás”, referiu, no plenário online que decorre esta semana.

Para a social democrata, “os alunos de hoje são o futuro da nossa Região, e esse futuro depende da Educação”, sendo que “a escola de hoje será a economia de amanhã”, considerando-se que, em tempos de pandemia ou não, “o acompanhamento pedagógico e social dos alunos e famílias é fundamental, envolvendo a comunidade escolar e a sociedade em geral, num combate que é de todos”, disse.

A parlamentar defendeu assim “uma estreita articulação entre o Governo Regional e o Comissariado dos Açores para a Infância e as respetivas comissões de proteção de crianças e jovens na defesa e promoção dos direitos das crianças e jovens”.

E frisou que esse modelo “já se concretiza nas parcerias entre o Estado e a Região, nas suas várias dimensões, seja através do comissariado e as CPCJ, na articulação direta e interna das escolas, ou no reencaminhamento necessário para o Ministério Público, com competências bem definidas para cada um dos agentes envolvidos”, explicou.

Para Maria João Carreiro, a recomendação apresentada ontem pelo PS “foi redundante, uma vez que visou o que já está legalmente previsto e a ser cumprido, mas deixando a dúvida se as equipas que estão no terreno estão ou não a desempenhar bem as suas funções, uma vez que lhes foi recomendado o que já está a ser feito”, afirmou.

“Assistimos novamente ao espírito de contradição do partido que suporta o governo, pois recomenda a definição de uma linha de orientação única por parte da tutela, em fase de pandemia, quando na passada semana foi contra esse principio na discussão de um projeto de resolução apresentado pelo PSD”, alerta.

“Defendemos que o final do presente ano letivo exigia medidas de ajustamento que não podiam ser deixadas ao livre arbítrio de cada agente do sistema educativo, impondo-se uma orientação clara e assertiva do governo regional”, recorda Maria João Carreiro.

“O PS argumentou então que estava em causa a autonomia das escolas, e agora pretende uma orientação única”, acrescentou a deputada

Ainda assim, “e por entender que todos devem fazer parte da solução e não do problema, e porque o combate ao abandono escolar é de todos nós”, o PSD votou favoravelmente a iniciativa, “reconhecendo e valorizando o trabalho que tem sido desenvolvido pelas escolas, pelos professores, pelo Comissariado para Infância nos Açores, e pelas respetivas comissões, na defesa e promoção dos direitos das nossas crianças e jovens”, concluiu Maria João Carreiro.