COVID-19. PSD/Açores considera urgente “ajudar os mais frágeis e salvar empregos”

O líder parlamentar do PSD/Açores afirmou que “é urgente ajudar os mais frágeis e salvar empregos”, alegando que à pandemia da COVID-19 “não se pode suceder a pandemia da pobreza e do desemprego”.

“Não podemos aceitar que à pandemia da COVID-19 se suceda a pandemia da insolvência das empresas, a pandemia do desemprego ou a pandemia da pobreza. Há sérios riscos da pobreza, que já existia antes desta pandemia, se agravar, criando problemas sociais de dimensão imprevisível”, afirmou Luís Maurício, em declaração política, no plenário da Assembleia Legislativa dos Açores.

O líder da bancada social-democrata salientou que, para enfrentar as consequências da pandemia da COVID-19, é necessária uma governação “mais ágil, eficaz e humilde”.

“A magnitude da crise económica e social por que os Açores passam, com o agravamento das nossas fragilidades económicas e sociais como consequência da pandemia COVID 19, exige uma governação mais ágil, eficaz e humilde. Porque é urgente ajudar os mais frágeis. Porque é urgente salvar empregos e salvar empresas. Porque não se pode perder tempo”, afirmou Luís Maurício, em declaração política, no plenário da Assembleia Legislativa dos Açores.

O líder da bancada social-democrata salientou que, na atual conjuntura económica e social, exige-se do Governo Regional “agilidade na tomada de decisão, eficácia nas medidas aprovadas e uma urgente desburocratização das medidas”.

“Que haja a humildade para ouvir e saber ouvir os parceiros sociais, os partidos políticos, as instituições particulares de solidariedade social, que se ouça e se saiba ouvir a sociedade açoriana. A tarefa é de tal ordem de grandeza que o contributo de todos tem de ser sempre considerado. O ritmo das soluções tem de acompanhar o ritmo da urgência em resolver os problemas que os açorianos enfrentam”, frisou.

O presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores defendeu que a Região “não pode ficar dependente só das soluções externas”, alegando que “é proibido estar à espera de que alguém resolva os nossos problemas”.

“Temos de encontrar novas soluções, as nossas próprias soluções, nomeadamente quanto à necessidade de aumentar a liquidez das empresas, prioritariamente a fundo perdido, mediante determinados requisitos. Estamos cientes que os velhos problemas permanecem porque não foram encontradas novas soluções. E estamos ainda cientes de que os novos problemas da sociedade açoriana exigem novas respostas”, sublinhou.

Para Luís Maurício, “são necessárias novas medidas que promovam a sustentabilidade possível das empresas, da agricultura, das pescas, do emprego e do funcionamento das instituições particulares de solidariedade social”.

“Quando a nossa realidade regional é a de que um em cada três açorianos são pobres, não podemos estar orgulhosos do que foi feito. Estamos antes responsabilizados pelo que importa fazer, diferente e melhor, para resolver este grave problema. Evitar o aumento do desemprego, por via da insolvência das empresas; evitar a diminuição do rendimento de muitas famílias, é combater os níveis de pobreza”, disse.

O líder da bancada social-democrata lembrou que, desde o início da pandemia, o PSD/Açores se “apresentou proponente de várias medidas de exceção e inadiáveis, visando o interesse geral dos açorianos”.

“O PSD propôs, de imediato, medidas de injeção de liquidez na economia e mostrou-se disponível para votar favoravelmente uma revisão orçamental que visasse ajudar as famílias e as empresas. Como referiu o presidente do partido, José Manuel Bolieiro, ‘as pessoas são mais importantes que o dinheiro e os défices orçamentais’”, referiu.

Luís Maurício recordou que foi o PSD/Açores que propôs a elaboração de um Plano de Retoma Progressiva da Atividade Económica, aprovado no anterior plenário do parlamento, bem como a criação de um apoio extraordinário aos trabalhadores em ‘layoff’ simplificado.

“Propusemos também a simplificação administrativa de candidaturas das empresas aos apoios públicos e a criação de uma compensação às empresas que tenham sofrido, devido à pandemia da COVID-19, uma redução da faturação superior a 40%”, lembrou.

O presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores destacou também a proposta do partido para que seja implementado um incentivo excecional aos investimentos na produção de equipamentos e serviços necessários ao combate e proteção da COVID-19.

“Contribuímos ainda para que houvesse um apoio excecional à comparticipação dos consumos elétricos para as famílias açorianas confrontadas com perdas de rendimento por via do surto de COVID -19”, disse.

Segundo Luís Maurício, “cada vez que o PSD apresenta ou vota uma medida, venha ela do partido político que vier, fá-lo sempre pensando no interesse geral dos açorianos, para além de qualquer outra consideração.”.

“O PSD/Açores está a dar o seu contributo responsável para, com esperança no futuro, ajudar a encontrar novas soluções. Não nos limitámos à observação dos problemas ou à sua crítica. Somos um partido de soluções, de diálogo democrático e determinado pelo novo e por um amanhã melhor”, concluiu.