Covid-19. PSD defende mais medidas de mitigação de impactos do surto na Praia da Vitória

Os vereadores do PSD na Câmara Municipal da Praia da Vitória enviaram hoje um novo pacote de medidas de mitigação para os impactos do surto do novo Coronavírus (Covid-19), requerendo que as mesmas sejam discutidas e votadas na próxima reunião de câmara, a realizar segunda feira.

“Face à evolução do surto de Covid-19, em que se verifica um aumento de casos no concelho, sentimos a necessidade de desenhar mais um conjunto de medidas a propor ao executivo”, explicam Cláudia Martins e Rui Espínola.

“Este é um tempo verdadeiramente extraordinário, sendo que não estávamos preparados para lidar com os seus impactos. É uma situação nova para todos e, portanto, é imperativo redefinir prioridades”, adiantam, destacando, em primeiro lugar ,”a saúde pública e depois o envidar de esforços para evitar o descalabro económico no concelho”, explicam.

Os sociais democratas pretendem “o alargamento do pagamento da mensalidade às crianças de todas as creches e ATL’s do concelho – não apenas à Rede Municipal – enquanto aqueles permanecerem encerrados”, assim como “apoiar, em articulação com o Governo Regional, a aquisição de computadores para as crianças praienses do 1º, 2º e 3º ciclos, uma vez que o ensino à distância veio acentuar as desigualdades existentes também na Praia da Vitória”, elencam.

Cláudia Martins e Rui Espínola defendem o reforço urgente, junto das entidades competentes, nomeadamente da Direção Regional de Saúde, “de uma estratégia de testagem à Covid-19 nas estruturas residenciais para idosos – Lar D. Pedro V e Centro Comunitário de São Brás -, assim como para o CAD-Centro de Apoio à Deficiência, e ainda a Unidade de Cuidados Continuados Integrados do Lar D. Pedro V, abrangendo todos os utentes e funcionários. A autarquia deve avançar para a comparticipação desses testes, caso a tutela tenha dificuldades em fazê-lo”, adiantam.

“Propomos também o alargamento da isenção do pagamento da taxa de resíduos às coletividades culturais e sociedades recreativas, tal como a suspensão das licenças para festividades no concelho, nos meses de abril, maio e junho”.

Os autarcas eleitos pelo PSD pretendem que, numa primeira fase, se promova junto da Direção Regional da Saúde, “o alojamento de doentes infetados em unidades hoteleiras do concelho, garantindo eficácia na ação e uma gestão eficiente das forças de segurança”, dizem.

“Para além disto, o executivo deve proceder a um levantamento urgente dos alojamentos locais, hostéis, pensões e casas para arrendamento a longo-prazo, disponíveis para isolamento de doentes, familiares ou profissionais de saúde. Isso poderá minimizar o risco de propagação da doença, mas também o impacto económico que esses pequenos empresários enfrentarão, por via da diminuição dos fluxos turísticos para a ilha nos próximos meses”, acrescentam.

Para Cláudia Martins e Rui Espínola, a Câmara deve promover uma grande campanha de incentivo ao consumo no comércio local, “também como forma de atenuar os impactos negativos desta crise no tecido empresarial praiense”.

Defendem ainda a criação de um Gabinete Municipal de Gestão de Crise, “capaz de desenvolver uma estratégia concertada de combate ao surto de Covid-19, em permanente articulação com as Juntas de Freguesia e demais entidades no terreno, evitando-se a duplicação esforços”, concluem.