PSD/Açores manifesta profundo pesar pelo falecimento de António Marinho

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, expressou profundo pesar pelo falecimento do deputado António Marinho, tendo considerado que se trata de uma “perda enorme” para o partido e para a Região.

“António Marinho desempenhou sempre com total dedicação, sentido de responsabilidade e lealdade as funções que lhe foram confiadas pelos açorianos. A sua partida causa-nos profunda tristeza e é uma enorme perda para o PSD e para os Açores”, afirmou.

O líder social-democrata destacou a “forma empenhada e abnegada como António Marinho se entregou à causa pública” nos Açores, “uma terra que fez sua e que amava profundamente”.

“Nesta hora muito difícil para a família social-democrata, expresso aos seus familiares e amigos os mais sinceros pêsames e a associo-me à sua dor”, disse José Manuel Bolieiro.

Também o presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores, Luís Maurício, expressou “profunda consternação e tristeza” com o falecimento do deputado António Marinho, a quem demonstrou “gratidão pelos relevantes serviços prestados ao partido e à Região”.

“A forma generosa com que se entregou à causa pública não se circunscreveu apenas à vida política, mas também pôde ser testemunhada na administração pública e no associativismo”, sublinhou.

Luís Maurício lembrou ainda a “postura leal com que António Marinho sempre se apresentou no debate político, respeitando os adversários e mostrando ser um verdadeiro democrata”.

António Marinho, de 63 anos, era deputado na Assembleia Legislativa dos Açores desde 2004, tendo sido presidente do grupo parlamentar do PSD/Açores entre 2008 e 2011 e de 2015 a 2016. Atualmente desempenhava as funções de presidente da Comissão de Política Geral do parlamento açoriano.

A nível partidário, António Marinho foi vice-presidente do PSD/Açores de 2005 e a 2009, conselheiro nacional do partido entre 2008 e 2010 e conselheiro regional de 2012 a 2013.

Economista de profissão, António Marinho era quadro superior da administração pública, tendo sido Diretor Regional da Indústria, chefe da Divisão de Estudos e Formação da Direção Regional do Emprego e Qualificação Profissional e administrador da Universidade dos Açores, entre outros cargos.

António Marinho foi também presidente do Instituto de Inovação Tecnológica dos Açores (INOVA), diretor geral da Fábrica de Cervejas João Melo Abreu, colaborador do jornal Açoriano Oriental e membro do Conselho Consultivo do Santa Clara.