COVID-19. Bolieiro propõe segunda equipa na Unidade de Evacuações Aéreas

O presidente do PSD/Açores propôs a constituição “urgente” de uma segunda equipa na Unidade de Evacuações Aéreas sedeada no Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira, como forma de reforçar os meios necessários no combate à pandemia do coronavírus COVID-19.

“Presentemente, nos Açores só existe uma equipa escalada para efetuar todas as evacuações médicas, quer sejam inter-ilhas, quer sejam para o exterior. O PSD/Açores considera urgente a criação de uma segunda equipa na Unidade de Evacuações Aéreas sedeada no Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira”, afirmou José Manuel Bolieiro, em conferência de imprensa.

Segundo o líder dos social-democratas açorianos, “a segunda equipa de evacuação será constituída por um médico e um enfermeiro, a funcionar preferencialmente em regime de prevenção, tal como acontece com a equipa atualmente existente”.

José Manuel Bolieiro propôs também que o Governo Regional constitua uma “equipa de vigilância permanente” da aplicação das medidas de combate ao surto do coronavírus COVID-19.

“Essa equipa terá como missão verificar no terreno se as medidas decretadas pelo Governo Regional estão a ser cumpridas, designadamente o preenchimento dos questionários de avaliação do risco e deteção precoce por todos os passageiros vindos do exterior”, explicou.

O presidente do PSD/Açores lembrou igualmente as medidas de prevenção que o PSD/Açores já apresentou, nomeadamente a criação de um Sistema Regional de Alerta e Vigilância, a implementar em todas unidades de saúde do arquipélago e no setor do Turismo através de um questionário de avaliação do risco e deteção precoce, e de uma solução para a recolha de amostras para teste a eventuais infeções pelo coronavírus COVID-19, evitando assim o transporte de casos suspeitos para o Hospital da Ilha Terceira.

O líder social-democrata manifestou ainda preocupação com o facto de a recolha de amostras de material biológico para testes “não estar totalmente implementada, apesar dos esforços das autoridades de saúde”, o que levou a que algumas pessoas suspeitas de infeção tivessem ficado várias horas em casa à espera que a recolha de amostras fosse efetuada, o que nunca aconteceu.

“Outra questão que preocupa o PSD é a forma como se está a processar a chegada ao aeroporto de Ponta Delgada de passageiros açorianos em trânsito para outras ilhas. Não se pode repetir o que se passou esta noite, em que passageiros vindos de Lisboa com destino à ilha do Pico foram deixados à sua sorte a dormir no aeroporto de Ponta Delgada. Foram deixados sem apoio para o cumprimento da exigência de quarentena.

José Manuel Bolieiro apelou ainda para que “esta situação inédita possa servir para capacitar o Serviço Regional de Proteção Civil para enfrentar eventos deste género no futuro”, lembrando que aquela entidade “evoluiu imenso após a aprendizagem que teve nas calamidades que ocorreram na Região”.