Bolieiro convicto de que PSD/Açores “liderará terceiro ciclo da Autonomia”

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, manifestou-se convicto de que o partido “liderará o terceiro ciclo da Autonomia”, tendo como “inspiração” o legado de “sucesso” deixado pela geração que construiu a identidade regional.

“Graças ao legado da geração do doutor Mota Amaral, podemos ter esperança e confiança para projetar o futuro. Pretendo que, a partir de hoje, o PSD se afirme como um partido capaz de assegurar uma alternativa democrática nos Açores num novo ciclo da Autonomia. O PSD liderará um terceiro ciclo da Autonomia, o ciclo da Autonomia da responsabilização”, afirmou.

O líder social-democrata falava numa sessão comemorativa, organizada pelo Gabinete de Estudos do partido, dos 125 anos do Decreto Autonómico de 2 de Março de 1895, que teve também como orador o fundador do PSD/Açores e primeiro Presidente do Governo Regional, João Bosco Mota Amaral.

José Manuel Bolieiro lembrou que o PSD “foi o partido que mais se bateu pela causa da Autonomia e pela ideia de uns Açores desenvolvidos”.

“É o PSD que é líder e fundador da causa da Autonomia, tendo sido bem-sucedido num tempo em que eram escassos os recursos económicos e financeiros”, frisou.

O líder dos social-democratas açorianos sublinhou que Mota Amaral e a sua geração “são uma referência na construção da Autonomia e da identidade do povo dos Açores”, sendo, por isso, “merecedores de todo o reconhecimento, homenagem e gratidão das gerações seguintes”.

Segundo José Manuel Bolieiro, “esta geração que criou os órgãos de governo próprio da Região teve sucesso. Concretizou as ideias pelas quais se bateu: construiu a unidade regional, combateu o isolamento e a pobreza extrema e obteve prestígio nacional e internacional para os Açores”.

“É, pois, com a inspiração do doutor Mota Amaral e da geração que o acompanhou que quero que cada um de vós me ajude, se ajude, nos ajude a afirmar uma alternância democrática em outubro de 2020”, afirmou o líder social-democrata, no dia em que iniciou a sua dedicação exclusiva ao cargo de presidente do PSD/Açores.

Na sessão comemorativa dos 125 anos do Decreto Autonómico de 2 de Março de 1895, Mota Amaral explicou ao público presente – que encheu a sede do PSD/Açores para assistir ao evento – o significado daquela data para os Açores.

Recorde-se que o Decreto Autonómico de 2 de Março de 1895 foi o diploma que determinou a possibilidade dos antigos distritos dos Açores e Madeira solicitarem a aplicação de um regime de autonomia administrativa.

O documento é considerado como o primeiro passo de um processo que culminou, quase um século depois, com a consagração constitucional da Autonomia político-administrativa da Região Autónoma dos Açores.