São Jorge. Repartições de finanças de Velas e Calheta deixam de aceitar pagamentos em dinheiro

O presidente da Comissão Política de Ilha de São Jorge do PSD denunciou que as repartições de finanças de Velas e Calheta deixaram de aceitar pagamentos em dinheiro, o que vai “condicionar a vida dos contribuintes, sobretudo os mais idosos”.

“Desde o início de fevereiro que os serviços de finanças de Velas e Calheta só aceitam pagamentos por cartão Multibanco. O PSD manifesta a sua indignação com esta situação. Os contribuintes jorgenses têm os mesmos direitos que os do resto do país. Os cidadãos da ilha de São Jorge devem ter o direito de fazer os seus pagamentos ao Estado da forma que lhes for mais conveniente”, disse Paulo Silveira.

Para o dirigente social-democrata, “limitar os pagamentos somente ao Multibanco é condicionar a vida das pessoas”.

“Numa ilha com uma população bastante envelhecida, em que muitos dos idosos não têm por hábito o uso do Multibanco, está-se a criar um enorme constrangimento à vida das pessoas”, sublinhou.

Paulo Silveira considerou que “também não faz qualquer sentido obrigar ao pagamento de verbas irrisórias por Multibanco, em vez de dinheiro”.

“O PSD de São Jorge solicitou ao deputado do PSD/Açores na Assembleia da República Paulo Moniz que questionasse o Ministro das Finanças sobre esta matéria. Os jorgenses merecem respeito e ter as mesmas condições que restantes os contribuintes do país”, disse.

Após esta denúncia feita pela Comissão Política de Ilha de São Jorge do PSD, o deputado social-democrata Paulo Moniz pediu explicações ao Governo da República sobre a situação, salientando que as repartições de finanças nas ilhas de São Jorge, Graciosa, Flores e Corvo deixaram de aceitar pagamentos em dinheiro.