POSEI. António Ventura quer saber se o OE2020 vai cobrir o défice anunciado para os Açores

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, António Ventura, questionou ontem a Ministra da Agricultura sobre o défice existente no POSEI para a Região, querendo saber “se o Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) vai cobrir esse défice, e de que forma o fará?”, perguntou a Maria do Céu Albuquerque.

No debate na especialidade do OE2020, o social democrata reforçou “a necessidade da continuidade do POSEI para as regiões autónomas, pois é um apoio essencial para a Agricultura e para o Meio Rural”, disse.

Mas alertou para “o défice existente de 10 milhões de euros para os Açores e de 5 milhões de euros para a Madeira, ao nível do POSEI. Ou seja, os prémios anunciados são diferentes dos prémios pagos, porque há sempre rateios e o plafond é insuficiente”, frisou.

“A questão é saber se, face a esta realidade, se o OE2020, vai cobrir esses défices?”, quis saber o deputado açoriano.

Na mesma intervenção, António Ventura considerou que o setor da bovinicultura de leite “tem sido esquecido pelo Governo”, pois “nem uma palavra dedicou a esta área, num silêncio que só confirma a crise que se vive a esse nível”, afirmou.

“E o facto da senhora ministra não falar dessa crise é demonstrativo desse esquecimento, mas não a faz desaparecer, pois ela está bem patente através dos baixos preços pagos ao produtor”, disse.

“Continuamos na cauda da Europa, relativamente aos rendimentos dos produtores de leite, quando há outros países a recuperar nos preços praticados”, criticou o parlamentar, sublinhando que “isso significa que há um problema específico em Portugal na bovinicultura de leite”.

António Ventura questionou “que medidas tem o executivo para combater a atual desilusão juntos dos produtores de leite, que se sentem esquecidos pelo seu governo”, realçando que “continuam a desaparecer produtores de uma atividade tão importante, já que contribui para a fixação de pessoas, combate o envelhecimento da população e aumenta a produção nacional dos agroalimentos”, concluiu.