Santa Maria. PSD defende reposição de voo à quarta-feira em benefício de doentes deslocados

A deputada do PSD/Açores Elisa Sousa defendeu a reposição do voo de quarta-feira de manhã entre Santa Maria e Ponta Delgada, de modo a que os doentes deslocados não sejam obrigados a pernoitar na ilha de São Miguel.

“Sem o voo da quarta-feira de manhã, retirado há alguns anos, os utentes marienses usufruem apenas de dois dias por semana – segunda e sexta-feira – para se deslocarem à ilha de São Miguel para exames, consultas e cirurgias, sem que essa deslocação implique uma pernoita”, afirmou a social-democrata, no debate sobre o Plano e Orçamento da Região para 2020.

A parlamentar salientou que, nos restantes dias da semana, “é obrigatório para os doentes deslocados de Santa Maria pernoitarem uma noite na ilha vizinha e, em muitos casos, duas noites, dependendo do horário da consulta”.

“São três dias de comparticipações de diárias, três dias em que os utentes estarão fora das suas casas e três dias em que estarão ausentes do trabalho ou da escola”, disse.

Elisa Sousa defendeu igualmente uma revisão geral dos horários da SATA Air Açores e das frequências dos voos nas ligações a Santa Maria, alegando que é necessário estas ligações “sirvam melhor a população mariense”.

“O horário do voo na sexta-feira à tarde inviabiliza, na maioria dos casos, que os marienses a viver fora da ilha e os restantes açorianos possam deslocar-se a Santa Maria. O mesmo acontece entre Santa Maria e Ponta Delgada, sendo que o horário deste voo e o horário do voo de sábado influenciam negativamente a taxa de ocupação dos voos de e para a ilha de Santa Maria”, frisou.

A deputada social-democrata do PSD/Açores lembrou que a SATA Air Açores, nas ligações de e para Santa Maria durante o Inverno IATA, apenas disponibiliza 1440 lugares, “ficando aquém dos 1800 lugares que estão previstos nas obrigações de serviço público”.

Elisa Sousa acrescentou que “a deslocação de mais médicos especialistas a Santa Maria, mais um voo semanal e melhores horários, certamente causariam menos constrangimentos aos marienses que se deslocam a São Miguel por doença”.