Pescas. Governo socialista continua sem dar resposta aos problemas do setor

O deputado do PSD/Açores, Jaime Vieira, avançou hoje que o Orçamento em discussão esta semana na Assembleia Legislativa “fecha um ciclo de quatro anos de governação socialista, continuando o setor das pescas a não ter respostas para os problemas que enfrenta”, disse.

O social democrata afirma mesmo que é hoje “bem mais difícil viver da Pesca do que era há 10, há 12 ou há mais anos atrás”.

“Hoje em dia, os pescadores pescam menos e ganham menos, sendo que os custos da atividade aumentaram e os descontos feitos são cada vez maiores, chegando a haver embarcações que descontam quase 50%, com valores distribuídos pela Lotaçor, seguros, Segurança Social, etc”, referiu.

Segundo Jaime Vieira, “as imposições comunitárias e as más políticas dos sucessivos governos socialistas, levaram a que o setor se fosse afundando, tornando-o mais frágil. Vão valendo a coragem e a sabedoria dos nossos pescadores que, dia após dia, noite após noite, arriscam a vida numa luta tremenda para vencer as atuais dificuldades”, disse.

“Esses pescadores tiveram de se adaptar a novos tamanhos mínimos, e tiveram que procurar e reinventar onde pescar, uma vez que muitos bancos de pesca estão delapidados e outros encontram-se fechados”, acrescentou.

Reforçando que o setor das pescas “continua a ser o parente pobre desta governação socialista”, Jaime Vieira diz que “ao ler os documentos com as supostas linhas de orientação para o setor, percebemos que qualquer coisinha serve”, afirma.

“O pescado escasseia e os pescadores têm fracos rendimentos, mas o governo assobia para o lado, fingindo que o problema não existe. Ou então diz que o problema não é seu, não fosse este há 23 anos o mesmo a governar a nossa Região”, recorda.

O deputado do PSD/Açores alerta mesmo que a sustentabilidade da pesca “poderá estar em perigo, nos próximos anos. Face a isso, pouco ou nada faz o governo, como aconteceu com os contratos de trabalho, em que a tutela apenas fez de conta que resolvia os problemas”, recordou.

Jaime Vieira reclama respostas “quando ainda existem pescadores, que chegam a casa, depois de várias horas no mar, e recebem 20 ou 30 euros por dia, para sustentar a sua família, para apoiar os filhos na escola e para pagar a renda da casa”, adianta.

O social democrata preconiza que “é possível, é preciso, e é urgente fazer diferente. Para que todos os açorianos tenham oportunidades iguais de serem felizes nas suas terras, sem terem necessidade de emigrar”, concluiu.