Recursos do Mar. Paulo Moniz defende mais apoio para o Centro “Okeanos” cumprir a sua missão

O cabeça de lista do PSD/Açores às eleições legislativas nacionais defende mais apoios “para a investigação geológica dos fundos marinhos dos Açores”, considerando que, “quando o Governo da República fala na criação de um Centro de Investigação dos Oceanos, o que temos a responder é que ele já existe, mas precisa ser apoiado para cumprir na plenitude a sua missão’, referiu.

Paulo Moniz, António Ventura e Ilídia Quadrado, candidatos do PSD/Açores à Assembleia da República, acompanhados pelo presidente do partido. Alexandre Gaudêncio, visitaram no fim de semana, o centro de investigação ‘Okeanos”, no Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) da Universidade dos Açores, na Horta.

Um centro que, segundo o candidato, “precisa de ser apoiado financeiramente, numa perspetiva de médio prazo, para poder garantir a perpetuação do conhecimento e a permanência dos seus investigadores e ainda ter a capacidade de angariar novos investigadores”, disse.

Para Paulo Moniz, “não é preciso inventar nada, já está inventado, é preciso é apoiar, otimizando os recursos existentes, nomeadamente através da colaboração e docência em cursos técnico-profissonais em cuja formação as matérias do mar sejam centrais”, sublinhou.

O social democrata referiu “a investigação avançada e de excelência reconhecida também pela FCT-Fundação para a Ciência e Tecnologia, levada a cabo por cerca de 40 Doutorados, que produzem e aprofundam o conhecimento do mar dos Açores, das espécies e da fauna, com uma história e um know how de grande importância científica”

E salientou que, “hoje em dia, é real e urgente a necessidade de conhecer em detalhe os recursos do mar, nomeadamente a sua componente mineral, que é cada vez mais importante”.

“E o “Okeanos” pode contribuir de uma forma determinante para isso, se tiver navios de maior dimensão e equipamento que permita estudos a cerca de 3 mil metros de profundidade, condições que não existem atualmente”, frisou.

“Essa capacitação técnica é essencial para que se possa fazer a geo-referenciação, o mapeamento dos bancos que alojam os metais importantes e os recursos minerais, que são de uma riqueza imensa, e que fazem parte do nosso mar”, explicou o cabeça de lista do PSD/Açores às legislativas nacionais.

O Centro “Okeanos” nasceu “de uma forma de autonomizar a investigação científica, no âmbito do DOP, permitindo-lhe ter personalidade própria para concorrer aos apoios proporcionados pelos programas nacionais e europeus”, acrescentou Paulo Moniz.

“O nível de qualidade do trabalho alcançado equipara-o aos melhores, como o prova ter recebido o selo de excelência da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no âmbito da avaliação dos centros de investigação, “neste caso, investigação do oceano e dos mares”, concluiu o candidato.