Paulo Moniz diz que António Costa veio aos Açores falar de uma mão cheia de nada

O cabeça de lista do PSD/Açores às eleições legislativas nacionais acusou hoje o primeiro ministro e candidato socialista, António Costa, “de vir aos Açores falar de uma mão cheia de nada”, considerando que, “com a proximidade das eleições de 6 de outubro, é cada vez mais necessário alertar que a governação socialista está a deixar os Açores para trás”, afirmou.

 

“Para além de querer piorar a mobilidade dos açorianos, querendo passar para a região uma responsabilidade que deve sempre ser da República, o ainda primeiro ministro resolveu não falar deste e de outros problemas que afetam diretamente os Açores”, lamentou Paulo Moniz.

 

“Com atores políticos açorianos que dizem ter uma grande influência direta sobre António Costa, não se entende que primeiro tenham aconselhado o primeiro ministro a atentar contra o subsidio de mobilidade e que agora não tenham influenciado António Costa para defender as mais importantes causas açorianas”, afirmou

“Fica provado que ter o PS nos dois governos de pouco ou nada tem servido à nossa Região”, avançou Paulo Moniz.

 

O social democrata disse ainda que “a polémica em torno da carne de vaca é um triste aproveitamento político”, sendo que “há variadas outras formas de eficiência ecológica e energética”, de que António Costa não falou”, lembra.

 

“Assim como não disse uma única palavra sobre o mar dos Açores, sobre a Universidade dos Açores, ou sobre o próprio subsidio social de mobilidade dos açorianos e os respetivos reembolsos das passagens aéreas”, sublinhou o candidato.

 

“O que se esperava da vinda de António Costa aos Açores era um pedido de desculpas, por desconsiderar no retângulo setores que são de vital importância para a nossa Região”, disse Paulo Moniz 

 

O social democrata adiantou igualmente que “vir prometer um conselho de concertação com as autonomias, para passar a chamar as duas regiões autónomas antes de fazer o Orçamento do Estado, é tão somente anunciar uma medida que já devia ser uma prática corrente e um hábito interiorizado no relacionamento e respeito para com autonomia dos Açores”, afirmou.

 

Para Paulo Moniz, “o que se conclui é que António Costa não só desconsidera e desconhece a nossa realidade. E quando é aconselhado, por atores políticos açorianos que lhe são muito próximos, a falar em assuntos que dizem respeito aos Açores, não só não se compromete com nada, como ainda apresenta os piores cenários”, concluiu o cabeça de lista do PSD/Açores.