Paulo Moniz apela à “divulgação imediata” das contas da SATA

O cabeça de lista do PSD/Açores à Assembleia da República apelou à “divulgação imediata” das contas da SATA relativas ao primeiro semestre de 2019, lembrando que “a lei assim o obriga” e que os açorianos, enquanto “acionistas” da empresa, têm direito a conhecer a real situação da companhia aérea.

“Numa democracia evoluída, o cidadão tem o direito de escrutinar o poder político. E as empresas, como é o caso da SATA, que são detidas por todos os açorianos, estão obrigadas a um dever de transparência e lealdade para com os cidadãos”, afirmou Paulo Moniz, após uma ação de campanha na manhã de segunda-feira na Lagoa.

O candidato social-democrata recordou que o Governo Regional está obrigado, por legislação aprovada no Parlamento dos Açores, a entregar à Assembleia Legislativa os relatórios trimestrais de execução orçamental das empresas públicas até 90 dias após o termo do trimestre a que se referem.

“É imperioso que no tempo limite, que é esta segunda-feira, quais são as contas da SATA do primeiro semestre de 2019”, disse.

Paulo Moniz recordou que a SATA, nos primeiros três meses deste ano, teve um resultado negativo de 20,8 milhões de euros, “o que dá um prejuízo, por semana, de 1,7 milhões de euros”.

O cabeça de lista do PSD/Açores referiu que a SATA, nas ligações aéreas entre a Região e o continente, “não está a cumprir o seu papel de regulador do mercado”, o que faz com que “existam preços muito mais elevados dos que havia antes da liberalização” do espaço aéreo.

“Para a SATA funcionar como o elemento regulador do mercado que os Açores precisam, é necessário que a companhia esteja saudável a nível financeiro, empresarial e laboral”, sublinhou.

Paulo Moniz acrescentou que, devido às opções erradas da governação socialista, “não se está a potenciar a SATA como elemento central da coesão regional”.

“A SATA é um instrumento fundamental para que todo o modelo de transporte aéreo funcione bem. É a SATA que deve regular o mercado, porque é detida pela Região e por todos os açorianos”, afirmou.

Segundo o candidato social-democrata, “só com uma SATA saudável é que se pode evitar os preços demasiado altos passagens das aéreas para o continente, quando antes da liberalização custavam cerca de 300 euros”.

A propósito dos reembolsos das passagens aéreas, Paulo Moniz considerou “muito grave” que o Primeiro-Ministro António Costa “tenha sido aconselhado por um socialista açoriano quando afirmou que o Subsídio Social de Mobilidade é ‘absurdo e ruinoso’”.