Santa Maria. Inquérito à Unidade de Saúde segue tardiamente para o Ministério Público

A deputada do PSD/Açores Elisa Sousa considerou hoje “incompreensível que só agora a Secretaria Regional da Saúde vá entregar ao Ministério Público as conclusões do inquérito ao funcionamento da Unidade de Saúde da Ilha de Santa Maria (USISM)”, frisando que o documento ficou “quatro meses na gaveta”, afirmou.

“Não faz sentido que o governo tenha tido aquele documento parado durante tanto tempo”, diz a parlamentar, para quem esse facto “ainda vem confirmar a gravidade do mesmo, pelo que não compreendemos a demora da tutela em avançar com um processo que afetou, e afeta, os marienses”, critica.

O inquérito em causa surgiu na sequência de várias queixas de abuso de poder, perseguição a funcionários e ingerência profissional por parte da direção clínica da USISM.

A deputada social democrata recorda que “passou mais de um ano, desde que foi instaurado o processo de inquérito, a que se juntou um segundo, com início em novembro de 2018, conforme disse uma médica daquela unidade de saúde”, adianta.

“O inquérito terminou no dia 31 de janeiro, e o relatório relativo ao processo foi entregue à tutela no dia 8 de março deste ano. Passaram quatro meses”, sublinha.

Elisa Sousa já tinha exigido ao Governo Regional a divulgação imediata das conclusões do inquérito ao funcionamento da USISM, frisando então “a importância de esclarecer os assuntos relativos àquela unidade, para que fosse restabelecido o normal funcionamento da mesma, dado o clima de tensão e instabilidade ali vivido”.

Sobre o anúncio da vinda de mais uma médica para Santa Maria, a deputada do PSD realça que “é um facto positivo, uma vez que continua a haver utentes sem médico de família”, concluiu.