Terceira. SATA destrói todo o seu crédito junto do mercado norte-americano

O PSD/Terceira diz que os sucessivos cancelamentos da Azores Airlines com destino à Terceira, particularmente os voos do mercado norte-americano, “têm destruído a pouca confiança que os emigrantes terceirenses ainda depositavam na companhia aérea açoriana”.

“Têm arruinando todo o trabalho desenvolvido ao longo dos anos na promoção e captação dos fluxos turísticos do mercado da saudade. E devastado completamente aquela empresa pública regional, por via dos custos associados aos cancelamentos”, avançam.

Rui Espínola, vice-presidente daquela estrutura social democrata lembra que, “como é sabido, os nossos emigrantes programam as suas viagens aos Açores com muita antecedência, por vezes um ano ou mais, o que implica desde logo uma escolha, nem sempre a mais económica, um planeamento muito antecipado das suas férias, o pagamento atempado das viagens e uma organização familiar para poderem visitar a sua terra natal e estar junto dos seus entes mais queridos e amigos”, refere.

Ao invés, a SATA, “pelo que parece, aposta num péssimo planeamento, com um aumento do número de voos, mesmo sabendo que não tem aeronaves para os poder cumprir e padece de falta de tripulações”, diz o social democrata.

“Essa é uma atitude completamente irresponsável, que está a levar à revolta dos nossos emigrantes, ao descrédito junto daquele mercado e à ruína da nossa companhia aérea açoriana”, considera.

Por outro lado, tratando-se da única companhia aérea que atualmente efetua viagens da Terceira para o mercado norte-americano, Rui Espínola diz que “estas situações têm tido um impacto significativo na economia da ilha, quer por via dos alojamentos, das rent-a-car, da restauração, dos eventos. Numa ilha que ainda recentemente apresentou dados que, no conjunto do setor turístico, são dos piores a nível regional”, lembra.

“Essas preocupações crescem, quando estamos a uma semana do início das festas concelhias da Praia da Vitória que, como é sabido, costumam atrair muitos emigrantes até à ilha Terceira”, reforça o dirigente.

O PSD/Terceira entende que a SATA é um instrumento essencial para o desenvolvimento dos Açores e que todos os seus colaboradores fazem um esforço diário para prestar o melhor serviço possível aos seus passageiros e evitar constrangimentos.

“Porém, ficam impotentes face ao mau planeamento dos seus gestores, à ineficácia na gestão da empresa e a um Governo Regional, seu acionista, que tem sido incapaz de inverter esta situação”, acusa Rui Espínola.

Face ao exposto, o PSD/Terceira exige que o Governo Regional dos Açores e a Administração da SATA tomem “as medidas necessárias no sentido de se evitarem estes cancelamentos, sobretudo os do mercado norte-americano, pelo impacto que isso tem na economia da ilha, na credibilidade da empresa junto das nossas comunidades emigrantes e na sustentabilidade da empresa pública regional SATA”, concluiu.