Santa Maria. PSD exige “divulgação imediata” das conclusões do inquérito à Unidade de Saúde

A deputada do PSD/Açores Elisa Sousa exigiu ao Governo Regional a “divulgação imediata” das conclusões do inquérito ao funcionamento da Unidade de Saúde da Ilha de Santa Maria, alegando que o documento foi entregue à tutela há quatro meses.

“Já passaram quatro meses desde a entrega do relatório, não havendo por parte da Secretaria Regional da Saúde qualquer esclarecimento, o que constitui uma demora incompreensível”, afirmou a social-democrata.

Em requerimento enviado à Assembleia Legislativa dos Açores, a deputada mariense salientou que, “face a este inexplicável atraso e para bem da população da ilha de Santa Maria, a Secretaria Regional da Saúde deve proceder à divulgação imediata das conclusões do inquérito”.

A deputada social-democrata lembrou que “já passou mais de um ano desde que foi instaurado o processo de inquérito, ao qual se juntou um segundo que teve início em novembro de 2018, de acordo com as declarações públicas de uma médica desta unidade de saúde”.

“O inquérito terminou no dia 31 de janeiro, segundo informação do então Secretário Regional da Saúde, e o relatório relativo a este processo foi entregue à tutela no dia 8 de março deste ano”, sublinhou.

Elisa Sousa destacou ainda “a importância de esclarecer os assuntos relativos à Unidade de Saúde da Ilha de Santa Maria, para que seja restabelecido o normal funcionamento da mesma”.

O inquérito em causa surge na sequência de várias queixas de abuso de poder, perseguição a funcionários e ingerência profissional por parte da direção clínica da Unidade de Saúde da Ilha de Santa Maria.

Em novembro de 2018, a deputada Elisa Sousa já tinha denunciado o “clima de tensão e instabilidade” naquela unidade de saúde, nomeadamente a atuação do diretor clínico, cujo comportamento “tem vindo a afetar trabalhadores e utentes”.

No requerimento, a parlamentar do PSD/Açores perguntou ainda ao Governo Regional “se, de acordo com as conclusões do inquérito, estão garantidas as condições para a continuidade do atual diretor clínico e do conselho de administração”.