Universidade Aberta. PSD defende apoios e oportunidades iguais para as várias ilhas da Região

O grupo parlamentar do PSD/Açores quer saber se o Governo Regional está disponível para, em colaboração com as escolas das ilhas onde não se realizam exames da Universidade Aberta e a própria instituição, “encontrar soluções que evitem as deslocações dos formandos para a realização dessas mesmas provas”.

Segundo o deputado João Bruto da Costa, “apenas na Graciosa e no Corvo não se realizam exames presenciais para conclusão dos blocos formativos daquela universidade”, adianta.

Os social-democratas querem saber se o executivo “conhece essas dificuldades, no caso o facto de os inscritos naquela instituição terem de se deslocar, com custos elevados, para poderem realizar as respetivas provas noutra ilha”, explicam.

Segundo João Bruto da Costa, a Universidade Aberta encerra um conjunto de oportunidades “que tem sido seguido por muitos açorianos”, uma vez que o ensino à distância, proporcionado por aquela instituição, “tem possibilitado uma melhor formação e oportunidades profissionais e de capacitação aos que a ela recorrem”, disse.

“Mas essa distância também pode significar um menor acesso a recursos que devem, tanto quanto possível, ser acessíveis a todos”, acrescenta o parlamentar.

“Nos dias de hoje, e com as capacidades existentes, não se justifica que os açorianos residentes naquelas duas ilhas continuem a ter que se deslocar para poderem aceder a uma formação que é muitas vezes essencial para o seu percurso pessoal e profissional”, concluiu o deputado do PSD/Açores.