Toxicodependência. Governo Regional insiste em “política de indefinições e ziguezagues”

O líder parlamentar do PSD/Açores afirmou que a atuação do Governo Regional na prevenção e combate à toxicodependência se tem caracterizado por “indefinições e ziguezagues permanentes”, aplicando medidas “avulsas” cujo resultado se “desconhece”.

“A política seguida pelos governos do Partido Socialista tem-se caracterizado por indefinições e ziguezagues permanentes. Ora se criam direções regionais de combate às dependências, ora se extinguem. Ora se separam doentes com objetivos terapêuticos distintivos, ora depois se faz o contrário”, disse o social-democrata, na Assembleia Legislativa.

O presidente do grupo parlamentar social-democrata, que falava num debate de urgência promovido pelo partido sobre políticas de prevenção e combate às toxicodependências, salientou que a “atuação errática” da governação socialista nesta área é própria de “quem não sabe o que quer”.

“Sabemos que esta é um problema que não é de fácil resolução. Seria irresponsável dizer o contrário. Mas não podemos aceitar que, após 23 anos no poder, o Governo Regional do PS não saiba para onde vai”, frisou.

Luís Maurício defendeu que “a prevenção é um instrumento primordial de combate às dependências”, devendo ser feita de forma “organizada, coordenada entre diferentes departamentos do Governo e envolvendo as escolas – com professores, alunos e pais”.

O líder parlamentar do PSD/Açores defendeu igualmente que, em matéria de tratamento, “se separem, de uma forma clara, os doentes que têm potencialidades de reabilitação diferentes entre si”.

O presidente do grupo parlamentar social-democrata acrescentou que “tem de começar a conhecer-se os resultados” das políticas públicas de prevenção e combate à toxicodependência nos Açores.

“Gastam-se dinheiros públicos em medidas avulsas e ninguém sabe os resultados das medidas do Governo Regional nesta área. Não se fiscaliza, não se monitoriza e não se sabe a eficácia das medidas”, concluiu.