Pico. PSD questiona governo sobre orla costeira do Pocinho, da Barca e das Lajes

Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Pico questionaram o Governo Regional sobre diversas carências da orla costeira da ilha, considerando que a ação da tutela “tem estado muito aquém das necessidades”, e lembrando que, “nos últimos invernos têm ocorrido diversos galgamentos em zonas costeiras da ilha, afetando a sua orla e vários espaços balneares”.

Marco Costa e Jorge Jorge sublinham “os muitos danos causados, nomeadamente em equipamentos e zonas que já registam uma deterioração acentuada, sem que o governo implemente medidas ou ações eficazes de proteção e conservação”, criticam.

Como tal, os social democratas querem saber “quando vai avançar o reordenamento anunciado para o Pocinho, por forma a garantir a utilização, a qualificação e o ordenamento daquele espaço, garantindo-lhe as condições mínimas de segurança”.

Da mesma forma, solicitaram ao executivo “o resultado das operações de perícia realizadas na baía das Lajes do Pico, após as ocorrências do inverno de 2018/19, com especial enfoque ao varrimento fotográfico, em zona submersa, realizado no molhe e na bolsa interior da baía”.

Marco Costa e Jorge Jorge também querem dados concretos sobre o projeto de execução “da proteção da orla costeira da Barca”, e saber “se ainda se vai iniciar este ano a operação de reforço da orla costeira junto ao Estádio Municipal da Madalena”.

“No Pocinho, os anúncios do governo datam de 2015, mas a prometida requalificação continua por realizar. E hoje temos ali um espaço com menos segurança, e que apresenta fortes dúvidas sobre a sua utilização como zona balnear”, referem.

“A orla costeira das Lajes do Pico assistiu, nos últimos meses, a dois galgamentos, que deixam claras as suas fragilidades e que fazem relembrar que a segunda fase da sua proteção nunca foi concretizada”, recordam os deputados.

Na Barca, zona próxima da Madalena, “têm sido frequentes os fechos de estrada, por questões de segurança. Os empresários lá instalados, e os proprietários da zona, vivem em constante sobressalto e ansiedade, pois os danos provocados pelo mar podem acontecer a qualquer momento”, explicam.

“Já na zona litoral adjacente às atuais casas de aprestos do Porto da Madalena – junto ao estádio municipal -, numa zona de acesso ao Porto Comercial, aos Estaleiros da Madalena e ao Terminal de Passageiros, que, consecutivamente, a estrada tem sido invadida pelo mar e fechada inúmeras vezes”, completam.

“Estes são alguns exemplos, dos inúmeros existentes no Pico, que devem levantar preocupação e obrigar a ações imediatas de correção. Sobre os quais, o governo regional deve explicações à população”, concluem Marco Costa e Jorge Jorge.