Políticas de Educação socialistas “puxam os Açores para trás”

O presidente do PSD/Açores considerou que as políticas de Educação dos governos socialistas “puxam os Açores para trás”, dando como exemplo o aumento da taxa de abandono escolar precoce na Região, que acontece em contraciclo com o verificado no continente.

“As políticas dos governos socialistas na Educação, em vez de levarem os Açores para a frente, puxam os Açores para trás. Enquanto que a média nacional de abandono escolar precoce está nos 12 por cento e a diminuir, nos Açores está em cerca de 28 por cento”, afirmou Duarte Freitas, no final de uma visita à Escola Secundária da Ribeira Grande.

O líder dos social-democratas açorianos salientou que a diminuição do abandono escolar precoce a nível nacional leva o país a aproximar-se das metas da Estratégia Europeia para a Educação e Formação 2020 – cujo objetivo principal é reduzir a taxa de abandono escolar precoce para níveis inferiores a 10 por cento –, enquanto que os Açores “estão a afastar-se”.

“Isto é dramático. Não é aceitável que tudo continue na mesma. Os 41 anos de Autonomia fizeram com que se evoluísse muito a nível de infraestruturas, mas não houve, no caso da Educação, a capacidade para, usando o sistema autonómico, os Açores se aproximarem dos melhores indicadores nacionais e europeus”, disse.

Duarte Freitas lembrou que se a Educação é o “elemento essencial para o progresso, o combate à pobreza, a mobilidade social e a igualdade de oportunidades, a verdade é que estas políticas educativas estão a fazer com que os Açores fiquem para trás” nesta área.

O presidente do PSD/Açores aproveitou a oportunidade para lembrar as “boas propostas” do partido para “mudar as políticas educativas”, tendo desafiado o governo regional socialista a “aproveitarem as boas ideias” que os social-democratas têm apresentado.

“Estas propostas não contra o governo ou contra o Partido Socialista. São a favor dos açorianos”, frisou, recordando as propostas do PSD/Açores no âmbito dos contratos de autonomia escolar, da criação de componentes vocacionais específicas para alunos com mais de duas retenções ou para tornar o ensino mais atrativo.

“Que não se faça o que a maioria socialista tem vindo a fazer, que é chumbar propostas sucessivamente só por serem do PSD/Açores”, afirmou.

A este propósito, o líder social-democrata lembrou que o PS rejeitou, nos últimos anos, propostas para o reforço de verbas para a manutenção das escolas, para compra de material informático e para a ação social escolar”.

“As nossas propostas são para o bem dos açorianos. Muitas vezes, a maioria socialista, ao mostrar-se contra o PSD, está a ser contra os açorianos. E isso é puxar os Açores para baixo”, considerou.