Leite dos Açores “não pode continuar a ser o pior pago da Europa”

O presidente do PSD/Açores anunciou que o partido vai propor a criação de um programa de investigação e desenvolvimento de novos produtos lácteos, afirmando que o leite produzido na Região “não pode continuar a ser o pior pago da Europa”.

“Os Açores produzem um dos melhores leites da Europa e do mundo. Mas é o leite pior pago da Europa. Isto revela bem a falta de estratégia política para a agricultura e agroindústria, como o PSD/Açores tem vindo a denunciar”, afirmou Duarte Freitas, após uma reunião com a direção da Associação Agrícola de São Miguel.

O líder dos social-democratas açorianos salientou que, de acordo com as estatísticas mais recentes, o preço médio do leite pago ao produtor na União Europeia é de 37 cêntimos por litro e a nível nacional é de 31 cêntimos.

O preço médio mais baixo na União Europeia é praticado na Roménia, com 30 cêntimos por litro de leite, encontrando-se os Açores ainda abaixo desse valor, com os produtores a ganharem, em média, apenas 28 cêntimos.

“Os nossos produtores, que evoluíram muito e fazem um excelente leite, são os mais mal pagos da União Europeia. Esta situação não pode persistir”, considerou.

Duarte Freitas sublinhou que uma das formas de inverter esta situação, melhorando os rendimentos dos lavradores, é o governo regional promover um programa de investigação e desenvolvimento de novos produtos lácteos, de forma a “valorizar o excelente leite” produzido nos Açores.

“É preciso apoiar as indústrias, ao longo de três a cinco anos, a criarem novos produtos de valor acrescentado e a procurar novos mercados para exportação, para que o excelente leite que os Açores produzem seja mais valorizado”, frisou.

O presidente do PSD/Açores acrescentou que não faz sentido que “um dos melhores leites do mundo seja, simultaneamente, o pior pago da União Europeia”.

A proposta de criação do programa de investigação e desenvolvimento de novos produtos lácteos vai ser apresentada pelo grupo parlamentar social-democrata durante o debate do Plano e Orçamento para 2018.