Socialistas das Lajes das Flores prejudicam concelho com objetivos partidários

A comissão política concelhia das Lajes das Flores do PSD/Açores lamentou, que “o Partido Socialista esteja mais preocupado em prejudicar as pessoas do concelho por motivos eleitoralistas do que em trabalhar para que o município possa aproveitar os fundos comunitários concretizando assim obras essenciais para o desenvolvimento do concelho”.

Em comunicado, os sociais democratas das Lajes das Flores lamentam que os socialistas do concelho tenham inviabilizado “um pedido de empréstimo destinado a manter o volume de obras atualmente em curso no concelho”. “Entre as pessoas e os interesses partidários, o PS demonstrou não hesitar em sacrificar as pessoas na tentativa de assim retirar dividendos políticos”.

De facto, explicam os sociais democratas, “ao longo do mandato o Município das Lajes das Flores elaborou e candidatou vários projetos aos fundos comunitários” sendo que todas essas candidaturas “constam dos sucessivos planos de atividades submetidos aos órgãos próprios”.

Foi devido a essa planificação que “as obras seguiram toda a tramitação que decorre da lei encontrando-se neste momento todos estes projetos adjudicados e, como não poderia deixar de ser, com o Município a estabelecer os respetivos acordos e compromissos com diversas empresas”.

“Estranhamente”, alegam os sociais democratas açorianos “o Partido Socialista não viabilizou o pedido de empréstimo no valor de 240 mil euros que tinha como objetivo garantir o fundo de maneio para a execução dos referidos projetos”.

“Com esta postura o PS está a prejudicar o concelho de forma deliberada, irresponsável e com uma insensibilidade humana e social muito grande”, afirmam considerando que “para os socialistas parece existir interesse em que o Município não tenha condições de continuar a dar emprego a mais de 50 trabalhadores e que este executivo não conclua o trabalho em curso prejudicando todos os munícipes”.

“Esta posição do PS elucida bem a forma como será o futuro do concelho caso fossem governar os destinos do concelho”, consideram ainda, lamentando que “todo trabalho feito até agora esteja a ser posto em causa por caprichos de alguns que colocam os interesses do partido e pessoais em primeiro lugar e não os do concelho, como deveria ser”.