Partido Socialista recusa auditoria a “negócios pouco transparentes” na SATA e SINAGA
Publicado em 11 de Maio, 2019

O deputado do PSD/Açores António Vasco Viveiros considerou que o Partido Socialista “tem algo a esconder”, ao ter chumbado uma proposta social-democrata para que o Tribunal de Contas fizesse uma auditoria a “negócios pouco transparentes” na SATA e SINAGA.

“Se o Partido Socialista não tivesse nada a esconder teria votado a favor da proposta do PSD/Açores para que o Tribunal de Contas fizesse auditorias aos negócios pouco transparentes ocorridos na SATA e SINAGA”, afirmou o social-democrata na Assembleia Legislativa nos Açores.

O parlamentar do PSD/Açores falava durante o debate sobre o projeto de resolução do partido que propunha ao Tribunal de Contas a realização de auditorias ao contrato de ‘leasing’ de uma aeronave A330 da SATA e à compra, pelo Governo Regional, da maioria do capital social da SINAGA.

António Vasco Viveiros lembrou que, durante os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito ao Setor Público Empresarial Regional, foi apurado que o contrato de ‘leasing’ da aeronave A330 – também conhecida por ‘Cachalote’ – tinha um custo de 12 milhões de euros anuais para a SATA Internacional.

Já caso da SINAGA está em causa o facto de, no processo de compra de 51% do capital social da empresa pelo Governo Regional, os benefícios para o vendedor terem sido muito superiores ao que foi autorizado pelo Tribunal de Contas.