2019 – Opinião de João Bruto da Costa
Publicado em 07 de Janeiro, 2019

Neste início de novo ano, dois assuntos (re)emergentes demonstram a sua relevância.

A pobreza e a corrupção que, sendo temas universais, assumem uma importância regional ou não fossem dois dos assuntos que mais preocupam nos Açores.

Pobreza e corrupção são indissociáveis. Não porque a pobreza promova a corrupção, mas precisamente pela razão inversa.

A corrupção não beneficia os pobres. Os pobres não têm poder para ser corruptos passivos nem tampouco meios para serem corruptos ativos.

A ligação da corrupção à pobreza estabelece-se porque onde existe corrupção também vinga a pobreza. Onde se condescende com a corrupção ou onde ela se estabelece os recursos são desviados do mais importante que é o serviço ao bem comum.

E quando uma região tem poucos recursos, desperdiçá-los em favores ilegais ou em decisões contaminadas por interesses particulares gera falta de recursos para enfrentar os problemas da sociedade no sentido de erradicar a pobreza.

Oxalá que o ano de 2019 possa ser de verdadeiro combate à pobreza, investindo contra a corrupção.