República planeia encerramento noturno de várias esquadras em São Miguel
Publicado em 07 de Dezembro, 2018

A deputada do PSD/Açores na Assembleia da República, Berta Cabral, afirmou que o governo da República “põe em risco” a segurança da população da ilha de São Miguel, na sequência da suspensão do Programa ‘Escola Segura’, da PSP, e do planeado encerramento de esquadras da polícia à noite por falta de agentes.

“É com profunda indignação que assistimos à suspensão do Programa ‘Escola Segura’ em Ponta Delgada e do eventual encerramento de várias esquadras de São Miguel durante a noite, por falta de efetivos. O governo da República põe em risco a segurança da população de São Miguel, ao não cumprir a promessa de reforçar o número de agentes da PSP na ilha”, afirmou a social-democrata.

Devido ao número insuficiente de agentes, o Comando Regional da PSP já suspendeu o Programa ‘Escola Segura’ no concelho de Ponta Delgada e está a equacionar o encerramento noturno das esquadras da Ribeira Grande, Vila Franca do Campo, Furnas, Maia e Capelas, segundo noticiou o jornal Açoriano Oriental.

“Por culpa deste governo da República, os Açores estão a bater no fundo em matéria de segurança. Está-se a atingir o ponto de rutura em matéria de degradação dos serviços públicos do Estado na Região”, afirmou a deputada açoriana.

Berta Cabral referiu que é “absolutamente inaceitável” a suspensão do Programa ‘Escola Segura’ no concelho de Ponta Delgada por constituir um “perigo para a segurança e bem-estar dos alunos”, tendo ainda manifestado preocupação com o risco dessa suspensão ocorrer noutros concelhos da ilha de São Miguel.

“É igualmente inadmissível encerrar esquadras à noite na ilha de São Miguel, pois aumenta o sentimento de insegurança para as populações, devido à falta de resposta imediata”, frisou.

Segundo a parlamentar do PSD/Açores, “a proximidade de esquadras da PSP às populações é fundamental para responder rapidamente a quaisquer ocorrências, mas também para dissuadir a prática de atos ilícitos ou criminais”.

“É bom lembrar que os Açores são a região do país com maior taxa de violência doméstica. A proximidade de serviços de segurança tem que também ter em conta esse facto”, considerou.

A deputada social-democrata acrescentou que toda esta situação “é resultado da indiferença do governo da República perante a necessidade de garantir mais segurança às populações dos Açores”.

“A construção de novas instalações para algumas esquadras e para o Comando Regional da PSP tem vindo a ser adiada desde o primeiro ano deste governo do Partido Socialista. Também a promessa de reforço real dos efetivos da PSP nos Açores tem sido sempre esquecida pela República”, afirmou.

A parlamentar do PSD/Açores na Assembleia da República lembrou que “o PSD tem vindo a denunciar sistematicamente a falta de efetivos da PSP nos Açores, mas o saldo é sistematicamente negativo ou nulo”.

“Os novos agentes colocados na nossa Região são insuficientes, pois nem sequer compensam as saídas de efetivos que, entretanto, foram transferidos dos Açores para outras regiões do país ou passaram à aposentação”, sublinhou.

Berta Cabral acrescentou que o Orçamento do Estado para 2019 “não resolve nenhum destes problemas nos Açores, o que fará com que os açorianos continuem a ser confrontados com o encerramento de importantes serviços do Estado, prejudicando as populações da Região”.