Cotovelinho – Opinião de João Bruto da Costa
Publicado em 10 de Dezembro, 2018

Não há sítio algum onde o socialismo tenha proporcionado desenvolvimento humano e os Açores não escapam a essa realidade.

Novamente, veio o INE desmascarar a pobreza na região.

Mais de 20 anos de socialismo, com mais de uma dezena de milhar de milhões de euros à disposição, os Açores são a região do país com maior risco de pobreza e que têm a secretária regional da solidariedade a dizer que a estatística não contabiliza o quintal dos fundos, os tomateiros, as couves e repolhos ou o rego de batatas que muitos vão tendo de cavar.

Qualquer dia querem a caldeirada dos pescadores e o meio alqueire de milho em anexo de IRS.

Bastou também ter ouvido da boca da governante a crítica aos cabazes de Natal oferecidos com “massa de cotovelinho marca branca” para se perceber que não vivem neste mundo. Podem preferir champanhe francês e charutos cubanos, mas para o comum dos açorianos oferecer “marca branca” pode ser muito.

O 1/3 dos açorianos abaixo do limiar da pobreza merecem o respeito que os socialistas dos Açores lhes negam há tempo demais.