Novela – Opinião de João Bruto da Costa
Publicado em 29 de Outubro, 2018

O governo anda, há uma década, a enganar os Graciosenses com a novela da construção de navios.

De promessa em promessa, de concurso em concurso, já são 7 os navios que ficaram por servir a Graciosa.

Primeiro anunciaram quatro navios que nunca chegaram a atracar na ilha. Foram o “Atlântida” e “Anticiclone”, prometidos para um célebre 13 de maio de 2009, por Vasco Cordeiro. Mas o milagre nunca aconteceu e quem pagou a fatura foram os estaleiros de Viana.

Depois vieram o “Mestre Simão” e “Gilberto Mariano”, que nunca aportaram à Graciosa e a excluíram do grupo central.

Mais tarde, foi o concurso anulado para mais dois navios (eram para chegar em 2018). Mudaram a estratégia e decidiram que iriam construir um só navio, grande e vistoso, cujo concurso foi agora anulado e passará a ser novamente promessa eleitoral para 2020.

O “bullying” político praticado contra uma das mais frágeis economias dos Açores tem levado oportunidades e desesperado quem quer o melhor para a pequena Graciosa.

Uma novela de mau gosto, só possível enquanto os açorianos quiserem.