Cuidar de quem precisa! – Opinião de Mónica Seidi
Publicado em 11 de Outubro, 2018

Perante o alarmismo social causado pelas reportagens televisivas – emitidas por um canal nacional no passado mês de julho – em que foram denunciados maus tratos a utentes da Rede Regional de Cuidados Continuados da Região, o cabal esclarecimento da verdade é, para o PSD/Açores, um desígnio premente na atual realidade legislativa do arquipélago.

A confiança que os açorianos devem manter nas instituições que prestam aos idosos aquele tipo de cuidados não pode ser “beliscada”, muito menos quando as mesmas são financiadas por dinheiros públicos, e submetidas a fiscalização por parte de entidades públicas.

O fato dos abusos incidirem sobre uma franja populacional altamente frágil e vulnerável, como é o caso dos idosos, obriga a ainda mais responsabilidades, por parte dos partidos políticos, no apuramento da verdade. Pelo que detetar falhas no tratamento prestado a tal grupo social, bem como apurar responsabilidades se for esse o caso, carece de uma ação ponderada, empenhada e muito responsável da nossa parte.

Foi com base nestes pressupostos, e face às notícias vindas a público no passado mês de julho que, de acordo com os mecanismos que temos ao nosso dispor, o PSD/Açores avançou imediatamente para a constituição de uma Comissão de Inquérito Parlamentar.

A vontade de desmistificar quaisquer dúvidas, de avaliar rigorosamente a qualidade dos cuidados prestados aos idosos em toda a Região, bem como a devolução da serenidade para envelhecerem de forma digna, sem sobressaltos ou ameaças, deverão ser objetivos sempre presentes. Não nos esqueçamos que falamos de pessoas, e que merecem o nosso maior respeito e entrega.

A Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados da Região Autónoma dos Açores foi criada em 2008, pelo DLR nº12/2008/A de 12 de junho. Desde então tem vindo a “afinar” as funções para a qual foi concebida, com extensão a oito ilhas do arquipélago.

É indiscutível todo o seu precioso papel no sistema regional de saúde e sistema regional de proteção social, ainda mais quando o Índice de Envelhecimento médio nos Açores tem vindo a aumentar consecutivamente. E quando nove dos dezanove concelhos da Região apresentam Índices de Envelhecimento superiores a 100%.

Exige-se pois, sem obstáculos nem desconfianças, que possamos cuidar de quem precisa!