Concessão de transporte aéreo de carga parada na “estaca zero”
Publicado em 06 de Setembro, 2018

O deputado do PSD/Açores António Vasco Viveiros afirmou que a concessão do serviço público de transporte aéreo de carga entre o continente e a Região continua parada na “estaca zero”, tendo lamentado a postura “frouxa” do governo regional no processo.

“O primeiro responsável [desta situação] é o governo da República. Mas há uma corresponsabilidade muito grave do governo regional, na forma como tem sido frouxo na exigência de um direito reconhecido à Região”, disse o deputado, à margem dos trabalhos da comissão parlamentar de Economia.

O parlamentar do PSD/Açores falava após a audição da secretária regional dos Transportes e Obras Públicas sobre a anulação do concurso público, lançado pelo governo da República, para a concessão do serviço público de transporte aéreo de carga entre o continente e o arquipélago.

“Este processo iniciou-se em 2015. Estamos a caminhar para o final de 2018 e continuamos na estaca zero. Há claramente um prejuízo para a economia da Região”, disse.

Para António Vasco Viveiros, “a gravidade da situação exige que este assunto seja assumido diretamente pelo presidente do governo regional”.

“Esperemos que o senhor presidente do governo regional assuma esta matéria e peça, com urgência, uma audiência ao primeiro-ministro. Este assunto merece outra atenção e importância da parte do governo da República”, disse.

O deputado social-democrata acrescentou que a operação privada de transporte de carga entre Lisboa e Ponta Delgada, a iniciar brevemente sem obrigações de serviço público, é “bem-vinda, mas não responde às exigências da economia regional, nomeadamente em termos de preços e benefícios para todas as ilhas”.