PSD/Açores requer audição da secretária regional dos Transportes para explicar “impasse” com avião cargueiro
Publicado em 04 de Julho, 2018

Os deputados dos PSD/Açores no parlamento açoriano requereram hoje a audição, com caráter de urgência, da secretária regional dos Transportes na Comissão de Economia, para explicar o impasse com o início da operação de transporte aéreo de carga entre os Açores e o Continente.

Segundo António Vasco Viveiros, “persistem muitas dúvidas sobre os motivos que levaram a que o Consórcio MAIS adiasse o início da operação”, dúvidas essas que se adensam com o comunicado do Grupo SATA no qual ficou evidente o “absoluto desrespeito da transportadora aérea regional por um cliente, neste caso o Consórcio MAIS, independentemente de quaisquer razões operacionais”.

“Nenhuma empresa responsável afasta um cliente com a ligeireza com que, aparentemente, a SATA está a fazer”, sublinha o porta-voz do PSD/Açores para a Economia e Finanças, acrescentando que “essa postura da companhia aérea revela um profundo desrespeito pelos empresários e pela economia açoriana”.

O deputado frisou que, “se a faixa horária proposta pelo Consórcio MAIS para a operação de transporte de carga entre os Açores e Continente é a que melhor responde aos interesses dos empresários regionais, cabe então à SATA e ao Governo regional, já que a empresa é detida única e exclusivamente pela Região, contribuir ativamente e com zelo para o início desta operação aérea”.

António Vasco Viveiros lembra os “sucessivos fracassos dos concursos para a concessão de serviço público de transporte aéreo de carga”, cuja operação é prometida desde final de 2015, mas que “ainda não foi concretizada nem se sabe quando será”.

Além disso, reforça o deputado, “a iniciativa do Consórcio MAIS, à margem de quaisquer apoios públicos, ainda que possa constituir uma solução provisória, por quanto não abrange a totalidade dos Açores, é seguramente, no imediato, uma mais valia para a competitividade de muitas empresas exportadoras, designadamente para os setores de produtos frescos como pescados, entre outros”.

“O silêncio da secretária regional dos Transportes indicia que a responsável política está alheada de todo este processo, quando o que se espera de um Governo responsável é o acompanhamento muito próximo de todo este processo, para salvaguarda dos interesses dos Açores e das empresas açorianas, razão pela qual entendemos urgente um esclarecimento por parte do Governo regional no parlamento”, concluiu António Vasco Viveiros.