República tem de compensar os Açores caso União Europeia corte fundos a Portugal
Publicado em 25 de Junho, 2018

A deputada do PSD/Açores na Assembleia da República, Berta Cabral, defendeu que o governo da República deve compensar a Região caso a União Europeia corte fundos comunitários a Portugal.

“Os Açores são uma região ultraperiférica da União Europeia. Esse estatuto próprio dá-nos a possibilidade de ter fundos acrescidos. Se Bruxelas cortar esses fundos, o governo da República tem de compensar os Açores”, disse a parlamentar açoriana, em declarações aos jornalistas.

A deputada social-democrata, que falava após uma reunião com a direção da Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada, lembrou que “há cinco anos Portugal sofreu cortes nos fundos, mas a Região até recebeu mais dinheiro”, por via da ação do governo da República liderado pelo PSD.

“Compete, por isso, ao governo da República compensar os Açores na distribuição interna de verbas caso Portugal receba menos fundos”, disse.

Berta Cabral defendeu a manutenção dos fundos para os Açores em matéria de Política de Coesão, devendo haver um “reforço” de verbas para a Região no que diz respeito à Política Agrícola Comum (PAC) e ao POSEI.

“Tem de haver necessariamente um reforço [de verbas para a agricultura] porque o quadro atual já não é suficiente”, frisou.

Em relação às taxas de comparticipação dos fundos comunitários, que sofrem uma redução de 85 para 70 por cento na proposta da Comissão Europeia, a deputada do PSD/Açores na Assembleia da República sublinhou que os governos regional e da República têm de ser “muito firmes” na recusa dessa intenção.