Pico a ilha esquecida – Opinião de Jorge Jorge
Publicado em 18 de Junho, 2018

1- Na ilha do Pico tudo o que são investimentos do Governo Regional estruturantes para a economia da ilha, são conseguidos depois de muitas lutas e pedidos, com muitos anos de atraso o que é uma penalização para a ilha para a sua economia e para as pessoas. A reestruturação dos Estaleiros Navais da Madalena são um exemplo disso,uma promessa com mais de oito anos proclamada pelo Governo Regional Socialista e particularmente por Vasco Cordeiro, quer como secretário Regional da Economia quer como presidente do Governo. Os estaleiros da Madalena estão ao abandono e constituem um triste postal de entrada na ilha, para além de todo o constrangimento que causam à economia da ilha.

Em 2017 a população da ilha do Pico tomou conhecimentoatravés das perguntas colocadas pelos deputados do PSD/Açores eleitos pelo Pico ao Governo Regional, quepara além da falta de equipamentos, falta de garantia de segurança, risco de incidente, falta vedação do espaço, constrangimentos de fornecimento de energia e água, risco de colapso do antigo hangar e abandono da manutenção, que esta é a única infraestrutura da região que faz cobrarvalores consideráveis pela operação de varar e arriar dos barcos, na ordem de alguns milhares de euros. Este modelo de gestão somado ao desleixo completo, levou à deslocação de diversas embarcações para outros destinos, como por exemplo o arquipélago da Madeira no caso dos atuneiros, ou para outros portos da região como se verifica com os barcos de menor arqueação, afim de usufruírem de menores custos com garantias de segurança.

Os estaleiros da Madalena, tal como a ilha do Pico, precisam que o governo centralista socialista os encarem com uma visão de investimento, de potenciação e de dinamização da economia da ilha. Quantos postos de trabalho estão por criar na economia da ilha pelo facto dosbarcos não fazerem as manutenções e reparações na ilha do Pico, para além de toda a cadeia de dinamização que é criada no comércio da ilha e da fixação de mão de obra especializada? A potencialidade que esta infraestrutura represente para a ilha do Pico, está completamente desprezada por um governo centralista e por um conjunto de dirigentes e eleitos socialistas que nada reivindicampara a sua ilha e para o seu concelho, tentando passar por entre os pingos da chuva.

2- No ano transato, os deputados do PSD eleitos pelo Pico, fizeram um requerimento a questionar o Governo Regional acerca da degradação bastante visível do Porto das Ribeiras, no qual também abordámos a situação da piscina municipal contigua ao porto, importantíssimo equipamento turístico que atrai centenas de pessoas diariamente à freguesia durante o verão e que tem sido alvo por diversas vezes da força do mar, o que tem provocado prejuízos naquele equipamento. Para mais, a falta de proteção da orla costeira afeta não só a piscina municipal, como também as casas que por ali existem e que de quando em vez são “visitadas” pelo mar, provocando para além do sentimento de insegurança, prejuízos materiais.

Na sequência da resposta ao nosso requerimento o Governo Regional comprometeu-se a fazer um levantamento do estado da infraestrutura em causa (molhe do porto), que incluía uma avaliação subaquática, prevendo-se que até ao final do ano esta ação de estivesse concluída. Em relação à proteção da costa junto à piscina municipal, dizia o governo regional estar disponível para com o município avaliar a situação, uma vez que aquela infraestrutura é municipal. Passado quase um ano do nosso requerimento e estando tudo aparentemente na mesma, voltámos a questionar o governo sobre os mesmos assuntos. Não se pode estar a adiar continuamente esta matéria, a proteção das pessoas e daquelas infraestruturasnão pode cair no esquecimento das prioridades do Governo Regional.