Partido Socialista dos Açores “cedeu” a António Costa, afirma Duarte Freitas
Publicado em 12 de Junho, 2018

O presidente do PSD/Açores afirmou que o Partido Socialista dos Açores “cedeu” à intenção do primeiro-ministro António Costa de fixar limites ao subsídio social de mobilidade, considerando que se trata de um “golpe” nos princípios da Autonomia e da continuidade territorial.

“Se forem ultrapassados os montantes orçamentais previstos para o subsídio social de mobilidade, tem de ser o Orçamento de Estado a pagar e nunca a Região. Isso seria um golpe nos princípios da Autonomia e da continuidade territorial, sempre prosseguidos por todos os governos de diferentes cores políticas”, afirmou Duarte Freitas, na Assembleia Legislativa dos Açores.

O líder social-democrata salientou que a maioria socialista, ao votar contra a iniciativa legislativa do PSD/Açores que recusava quaisquer cortes ou limitações aos reembolsos das passagens aéreas para residentes, “cedeu” ao governo da República em vez de defender o direito dos açorianos à mobilidade.

“O voto contra revela que o Partido Socialista dos Açores cedeu ao primeiro-ministro António Costa que quer impor limites [à mobilidade dos açorianos], a partir dos quais quem vai ter de pagar é a Região”, disse.

Para Duarte Freitas, a concretizar-se a intenção, já anunciada, do primeiro-ministro de fixar limites aos reembolsos das passagens aéreas para residentes, “ficará, para sempre, uma marca negra no PS/Açores e no PS nacional”.

Recorde-se que iniciativa do PSD/Açores, que só recebeu o voto contrário da maioria socialista, previa que o parlamento açoriano se pronunciasse no sentido de considerar “inaceitável a imposição de quaisquer tetos financeiros, condicionamentos de horários ou limitações ao número de viagens no âmbito do subsídio social de mobilidade”.