Ministro confirma que não tem segunda tripulação para a Zona Aérea dos Açores
Publicado em 27 de Junho, 2018

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, António Ventura, lamentou hoje que, segundo o Ministro da Defesa, se confirme “a inexistência de uma segunda tripulação para os helicópteros do tipo EH-101 Merlin na Zona Aérea dos Açores. Uma realidade que impede a Força Aérea de cumprir de forma segura e eficaz as suas funções”.

Questionando o governante no âmbito da Comissão da Defesa Nacional, o social democrata sublinha que, “apesar de haver dois helicópteros na Região, continua a existir apenas uma única tripulação disponível e preparada para atuar, não se maximizando os recursos humanos para os equipamentos existentes”, explicou.

“Em resposta a estas minhas preocupações, o senhor ministro disse que não tem, de facto, uma segunda tripulação para os Açores. Nem se comprometeu a cumprir o prometido pelo primeiro-ministro em maio de 2016”, lembrou António Ventura.

Efetivamente, o Governo da República anunciou, nessa altura, “a intenção de rapidamente ultrapassar a questão orçamental, apontada como bloqueio para a existência de uma segunda tripulação”, adiantou.

“Mas a verdade é que continuamos sem uma segunda tripulação, o que é fundamental para a segurança e o auxílio dos açorianos. Sobretudo para os que vivem em ilhas sem hospital que, perante uma fatalidade, necessitem de cuidados diferenciados”, diz o deputado do PSD.

António Ventura reforça que “é da responsabilidade da Força Aérea Portuguesa a realização de operações de busca e salvamento nos Açores”.

Assim, “esta é mais uma promessa que não está a ser cumprida com os açorianos, sendo que se refere à segurança das populações. Até porque a nossa condição arquipelágica exige sempre que se tenha ao dispor todos os meios de segurança necessários”.

António Ventura recordou ainda que “esta ausência de uma segunda tripulação já motivou, na Assembleia Regional, um voto de protesto ao Governo da República. Que foi aprovado por unanimidade a 12 de julho de 2017”, concluiu.