Reação de Vasco Cordeiro à pronuncia da Assembleia Municipal de Angra sobre transportes e acessibilidades à Terceira “foi infeliz e um mau sinal”
Publicado em 15 de Maio, 2018

Os deputados do PSD/Açores eleitos pela Terceira consideram que a reação do presidente do Governo regional, Vasco Cordeiro, à pronúncia unânime da Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo, Terceira, sobre transportes e acessibilidades à ilha “foi, além de infeliz, um mau sinal para os terceirenses”.

Segundo Luís Rendeiro, o líder do executivo “perdeu uma grande oportunidade de ir ao encontro das pretensões da população e das empresas” daquela ilha quando, durante a inauguração do Parque Multi-sectorial da Terceira, “ignorou por completo” o texto da Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo.

“O PSD/Açores lamenta que Vasco Cordeiro, em vez de responder às preocupações expressas unanimemente na Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo e, consequentemente, também pelo Partido Socialista, tenha preferido escudar-se atrás de uma suposta recuperação económica que, como é público, tarda em fazer-se sentir na Terceira”, afirmou o deputado do PSD/Açores.

Luís Rendeiro sublinha que os exemplos dados por Vasco Cordeiro para fundamentar o que o Governo regional diz ser os “bons investimentos” públicos na ilha Terceira remetem para as obras que “mais problemas e atrasos tiveram, todas elas inauguradas mais de dez anos depois de terem sido anunciadas”.

“Estamos a falar, por exemplo, da Biblioteca de Angra, do Parque Tecnológico ou mesmo do Parque de Exposições, obra cujo projeto inicial sofreu sucessivos encolhimentos dando origem a uma versão final substancialmente menor e com menos potencialidades do que o inicialmente previsto”, explica o parlamentar.

A Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo aprovou, a 11 de maio, em reunião extraordinária, uma pronúncia conjunta de todas as forças partidárias em torno das necessidades mais urgentes do concelho e da ilha Terceira no que se refere aos transportes, acessibilidades e infraestruturas de apoio a essas atividades.

Entre os investimentos que os vários grupos municipais representados naquela Assembleia reivindicam para o concelho e para a ilha está o Terminal de Cargas da Aerogare das Lajes, o Cais de Cruzeiros no molhe norte do Porto da Praia e a rampa ‘ro-ro’ no Porto das Pipas.

O reforço da operação da SATA e da Azores Airlines na Terceira; a alteração do modelo de transporte de carga aérea e marítima, sobretudo no que à Terceira diz respeito; bem como o desbloqueio, em definitivo, dos entraves à transformação do Porto da Praia da Vitória numa plataforma logística internacional, entre outras situações já há muito sinalizadas, são outras das preocupações expressas na pronúncia unânime daquela Assembleia Municipal.

Luís Rendeiro frisa que “nunca é tarde para emendar a mão” e, por isso, apela ao líder do executivo açoriano para que acolha as preocupações unânimes da ilha”, lembrando que “é obrigação de um presidente de um governo estar ao serviço da população que o elegeu”.

“Estas são as questões que estão a bloquear o desenvolvimento da economia da Terceira, impedindo-a de contribuir, no máximo das suas potencialidades, para o desenvolvimento de toda a Região Autónoma dos Açores”, concluiu o deputado do PSD/Açores e líder do grupo municipal social-democrata na Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo.